Projeto da ABB vai extrair lítio do subsolo do rio Reno

16/05/2024
As duas empresas vão combinar expertises e tecnologias para tirar do papel a primeira fase do projeto

 

A empresa de automação ABB vai integrar um projeto de extração mineral em desenvolvimento na Alemanha que promete ser o primeiro no mundo a disponibilizar lítio dissociado de emissões para o mercado de baterias. A ABB assinou um memorando de entendimento com a Vulcan Energy Resources para integrar o projeto Zero Carbon Lithium, que pretende extrair lítio de água salobra do subsolo do Alto Rio Reno, onde estão os maiores depósitos do metal na Europa.

As duas empresas vão combinar expertises e tecnologias para tirar do papel a primeira fase do projeto, que inclui a implantação de uma usina de eletricidade geotérmica, gerada com o calor do subsolo, peça central no objetivo de extrair e beneficiar lítio no local sem o uso de combustíveis fósseis. A ABB vai colaborar com a Vulcan para conceber, otimizar e consolidar projetos de eletrificação e automação para os processos de extração, beneficiamento e produção de energia na planta. A empresa também vai se envolver nas tratativas com os demais parceiros e provedores de tecnologias recrutados para o projeto. “A associação da ABB com a Vulcan oferece perspectivas empolgantes porque, se conjugadas, nossas abordagens, expertises e tecnologias têm potencial de impactar a produção de baterias para usos industriais e domésticos”, afirmou em comunicado Michael Marti, diretor global da Divisão de Growth Industries, da ABB. “A ação tomada visa garantir oferta de energia estável e segura ao longo da década de 2030”.

A importância da parceria entre as empresas visa atingir a meta da União Europeia de somente comercializar veículos elétricos a partir de 2035, o que vai multiplicar a demanda por lítio no continente em mais de 50 vezes até o ano de 2050, em relação à atual. Além de usar a eletricidade renovável para produzir lítio, a Vulcan também pretende disponibilizar energia e aquecimento da futura usina para as comunidades do entorno da extração. O projeto é o maior do tipo já anunciado na Europa, segundo a organização.

Direto da Fonte