SGB lança Atlas Aerogeofísico do Estado do Mato Grosso

21/12/2023
O documento amplia a disponibilização de dados aerogeofísicos e representa uma das principais iniciativas do SGB

 

O Serviço Geológico do Brasil (SGB), por meio da Diretoria de Geologia e Recursos Minerais (DGM), acaba de apresentar o Atlas Aerogeofísico do Estado do Mato Grosso. O documento amplia a disponibilização de dados aerogeofísicos e representa uma das principais iniciativas do SGB, com o objetivo de facilitar a gestão e a utilização desses dados conforme as preferências e as prioridades dos setores público e privado, bem como as características geológicas e as potencialidades minerais locais. O Atlas pode ser encontrado no link https://rigeo.cprm.gov.br/handle/doc/24566.

Ao longo das duas últimas décadas o Governo federal, através do SGB, realizou investimentos para a aquisição de dados aerogeofísicos, tendo sido recoberta uma área de cerca de 3,7 milhões de km², que corresponde a aproximadamente 43% do território nacional continental, e 92% das áreas de escudo cristalino. O esforço visa contribuir para o aprimoramento do conhecimento geológico do brasileiro e da descoberta de jazidas minerais.

Em geral, os aerolevantamentos descobriram dados magnetométricos e gamaespectrométricos com espaçamento entre as linhas de voo de 500 metros, e altura de voo de 100 metros. O desenvolvimento do Atlas envolveu dezenove diferentes projetos aerogeofísicos ou parte deles, integrados em uma única malha, seguindo os limites do estado. O trabalho demandou o reprocessamento e nivelamento dos dados brutos e aplicação de filtros para enfatizar assinaturas anômalas. Também vale destacar que o Atlas Aerogeofísico está alinhado a três dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), da Organização das Nações Unidas (ONU), que são: trabalho decente e crescimento econômico; indústria, inovação e infraestrutura; e consumo e produção responsáveis.

Com o Atlas Aerogeofísico do Estado do Mato Grosso, o SGB prossegue a política governamental de atualizar o conhecimento geológico brasileiro, por meio dos levantamentos geológicos básicos, geoquímicos e geofísicos e da avaliação integrada das informações, o que é fundamental para o desenvolvimento regional e importante subsídio à formulação de políticas públicas e de apoio à tomada de decisão de investimentos.