Australiana Equinox Resources chega à Bahia com mais um projeto de argila iônica

28/11/2023
Os depósitos iônicos de terras raras hospedados em argila são predominantemente próximos à superfície, geralmente em profundidades de aproximadamente 10 m.

 

A empresa australiana Equinox Resources encontrou evidências iniciais convincentes da existência de minerais de terras raras em argila iônica, em seu projeto Campo Grande, na região de Jequié, na Bahia.

Os depósitos iônicos de terras raras hospedados em argila são predominantemente próximos à superfície (geralmente em profundidades de aproximadamente 10 m) e podem ser extraídos de forma barata usando níveis de pH de aproximadamente 4.

Outras empresas juniores da ASX (bolsa australiana), incluindo Meteoric Resources e Alvo Minerals já estão obtendo grande sucesso no Brasil com seus respectivos projetos de terras raras em argila iônica Caldeira e Bluebush.

O pacote de 1.760 km2 está espalhado pela emergente província de terras raras da Bahia, onde a vizinha Brazilian Rare Earths – que está prestes a ser listada na ASX com um IPO de US$ 50 milhões, e iniciará com valor de mercado de aproximadamente US$ 315 milhões – está provando seu valor. 

A empresa planeja realizar um posicionamento estratégico para arrecadar US$ 1,6 milhão antes das despesas, incluindo diretores comprometendo US$ 465 mil do próprio bolso.

“O Projeto Campo Grande representa uma oportunidade de crescimento notável e potencialmente revolucionária para a Equinox, no coração de um dos distritos emergentes mais interessantes do mundo para descobertas de terras raras em argila”, disse o CEO da EQN, Zac Komur.

“A implantação dessas áreas altamente estratégicas representa o culminar de uma extensa análise de potenciais oportunidades de desenvolvimento de negócios no Brasil, incluindo tempo no local visitando possíveis alvos.

“É um ótimo lugar para fazer negócios. Estamos ansiosos para iniciar um programa de perfuração inicial no início do próximo ano e planejamos iniciar um programa de perfuração com trado no início de 2024, após a concessão esperada das solicitações.”

Após a concessão do projeto, a Equinox conduzirá uma revisão abrangente do projeto de Campo Grande. Isto inclui a revisão de terras adicionais disponíveis de Elementos de Terras Raras para fixação e a finalização de empreiteiros para iniciar a perfuração intensiva com trado antes do final do ano. No início de 2024, a empresa pretende avançar com os pedidos de licença ambiental preliminar e nomear o seu gestor de exploração.

Direto da Fonte