Produção de cobre cresce 11% no primeiro trimestre

23/04/2024
A produção de minério de ferro permaneceu estável, com um forte desempenho do Minas-Rio, um aumento de 4%

 

A Anglo American produziu 198 mil t de cobre no primeiro trimestre de 2024, um aumento de 11% sobre o mesmo período do último ano, graças à maior taxa de produção da planta de Quellaveco, apesar do impacto dos teores mais baixos planejados, enquanto Collahuasi e El Soldado, no Chile, se beneficiavam de teores mais elevados.

A produção de carvão siderúrgico somou 3,8 milhões de toneladas nos três primeiros meses de 2024, um acréscimo de 7% quando comparado ao mesmo trimestre de 2023. O crescimento na produção de carvão ocorreu devido ao desempenho das operações de Aquila e Capcoal, parcialmente compensada pela operação a céu aberto de Dawson e pelos desafios contínuos com as condições dos estratos em Moranbah.

A produção de minério de ferro permaneceu estável, com um forte desempenho do Minas-Rio, um aumento de 4%, compensado por uma redução planejada em Kumba para se alinhar às restrições logísticas de terceiros.

A De Beers implementou mudanças para reduzir a sua produção de diamantes durante o ano em cerca de três milhões de quilates (6,9 milhões de quilates ou 23% inferior, combinado com a produção mais baixa das operações de PGMs, de 834 mil onças, 7% abaixo que o mesmo trimestre de 2023. A produção de diamantes brutos caiu principalmente devido a alterações implementadas para reduzir a produção em resposta aos níveis de stock do mercado. O guidance para produção de diamantes brutos para 2024 foi reduzido para 26-29 milhões de quilates, com custos unitários revistos em conformidade para $90/quilate.

A produção de PGMs registrou queda e refletiu volumes menores esperados de Kroondal (que é relatado como compra de concentrado de terceiros a partir de novembro de 2023) e menor produção em Amandelbult, enquanto a produção de níquel permaneceu praticamente inalterada, em 9,5 mil t. “Estamos impulsionando a excelência operacional em nossos ativos, focando na estabilidade e na gestão eficaz de custos como alavancas para entregar valor significativo ao longo do ciclo. Estamos progredindo na nossa revisão de ativos para otimizar o valor, simplificando e melhorando a qualidade geral da carteira. Com o cobre representando agora 30% de nossa produção total e tendo o benefício de diversas opções de crescimento de cobre bem sequenciadas e com valor agregado em nosso portfólio no médio prazo, também estamos preparando o negócio para entregar e crescer nos principais temas de demanda”, disse Duncan Wanblad, CEO da Anglo American.