Vale e Ternium firmam acordo para siderurgia mais limpa

20/08/2021

A Vale anunciou que assinou um Memorando de Entendimento com a Ternium S.A. no qual as empresas se comprometem a buscar oportunidades para desenvolver soluções para a siderurgia focadas na redução das emissões de CO2.    

As duas companhias pretendem desenvolver estudos de viabilidade econômica de potenciais investimentos em uma planta de briquetes de minério de ferro nas instalações da Ternium Brasil e plantas para produzir metálicos com baixa emissão de carbono utilizando a tecnologia Tecnored, HYL e outras tecnologias para a redução de ferro.

De acordo com a Vale, a iniciativa contribui para se alcançar o compromisso da mineradora de reduzir 15% das emissões líquidas de Escopo 3 até 2035. Além disso, a companhia busca “reduzir suas emissões absolutas de Escopo 1 e 2 em 33% até 2030 e alcançar neutralidade até 2050, em linha com o Acordo de Paris, liderando o caminho em direção à mineração de baixo carbono”.   

Para o presidente da Vale, Eduardo Bartolomeo, o acordo é “um marco importante no nosso caminho para fornecer soluções de baixo carbono para a indústria siderúrgica e estamos felizes em engajarmos com a Ternium nesta jornada. Estamos progredindo com nosso compromisso com a sociedade e com as metas do Acordo de Paris, apoiados por tecnologias inovadoras, um portfólio de minério de ferro de alta qualidade e de classe mundial, crítico para a transição de baixo carbono. Estamos bem posicionados para liderar o caminho para reduzir as emissões do Escopo 3, apoiando a descarbonização da indústria siderúrgica através de iniciativas conjuntas com nossos clientes". 

Já Máximo Vedoya, Presidente Executivo da Ternium, disse que “é um passo importante em nossa estratégia de descarbonização, pois contribui para alcançar o compromisso da Ternium de reduzir em 20% sua emissão de CO2 até 2030. A Vale é um fornecedor chave em nossa cadeia de valor, e eles compartilham nosso compromisso com a preservação do meio ambiente. Acredito que teremos muitas oportunidades para desenvolver iniciativas conjuntas para continuar a descarbonização de nossas operações no futuro. A neutralidade de carbono é uma meta que só pode ser alcançada se todas as partes da sociedade trabalharem em conjunto. Como principal produtor de aço plano da América Latina, vamos fazer a nossa parte neste esforço".

Tecnologia de briquetagem

A tecnologia para briquetar produtos de minério de ferro, como sínter feed e pellet feed, foi desenvolvida pela Vale há mais de 10 anos. Trata-se de um processo revolucionário, mais simples e flexível, menos intensivo em carbono e capital, além de ser mais econômico. Como informa a Vale, “os briquetes permitem continuar a utilização de altos-fornos durante a transição para um processo menos intensivo em carbono, uma vez que poderiam evitar a etapa de sinterização, que representa cerca de 10% das emissões de produção de aço, ou ser utilizados como carga direta, uma vez que poderiam substituir granulados e pelotas em altos-fornos e fornos de redução direta”. 

A Tecnored é uma subsidiária totalmente controlada pela e está focada no desenvolvimento de um processo de ferro-gusa de baixo carbono por meio do uso de fontes de energia, como biomassa e gás de síntese, que emitem menos CO2 que os processos tradicionais de produção de ferro gusa, como o carvão e o coque. Através do uso da biomassa, o caminho para a neutralidade econômica de carbono pode ser alcançado a médio prazo.

A HYL, por sua vez, é uma tecnologia para redução direta de minério de ferro de baixo carbono desenvolvida pela Ternium no México e que está em operação nas instalações da Ternium em Monterrey e Puebla, México. A tecnologia tem a capacidade de recuperar seletivamente o CO2, reduzindo assim significativamente as emissões de carbono em comparação com outras tecnologias de redução.