Mais de R$ 75 milhões em ações ambientais

01/09/2021

A Gerdau irá investir mais de R$ 75 milhões em ações ambientais até o final de 2021 em sua usina de Divinópolis (MG). O montante faz parte dos R$130 milhões do aporte previsto para a unidade neste ano. “Desde que a Gerdau começou a operar a usina de Divinópolis, em 1994, a companhia investiu mais de R$ 1,6 bilhão em iniciativas que contemplam os setores de meio ambiente, administrativo, segurança pessoal e segurança operacional. Isto dá uma média de R$ 60 milhões por ano, somente na unidade. Nos últimos anos, a Gerdau ampliou os estudos internos para levantamento de melhorias, à procura por novas formas de controle de particulados dentro e fora do Brasil, além de exemplos que pudessem ser aplicados à nossa usina, indo além do que já é exigido pela legislação atual, até chegarmos a essa série de investimentos que serão realizados. São intervenções que contribuem significativamente para a redução nas emissões de poeira e particulados fugitivos na atmosfera, trazendo um resultado positivo já a curto prazo para as comunidades vizinhas, mas sem deixar de pensar no futuro e os benefícios a longo prazo”,  disse Mauro de Castro, gerente executivo da usina da Gerdau em Divinópolis. 

Alguns investimentos já estão em fase de instalação ou testes, como sete aspersores que ficarão no pátio da unidade, em áreas onde há fluxo de caminhões para carregamento e manuseio de matérias-primas usadas nos processos da usina. “Os aspersores são como grandes pulverizadores de água que formam uma cortina de vapor d’água que ajuda a umedecer as partículas de poeira para que elas não subam para a atmosfera e afetem o entorno. Com o período do ano mais seco, essa dispersão da poeira acaba ficando ainda mais visível, por isso o investimento já está sendo testado para iniciar plenamente no mês de agosto”, completa o gerente executivo. A água utilizada nos equipamentos é resultado de um processo de reutilização e tratamento que ocorre dentro da própria unidade.

Um equipamento para despoeiramento das áreas dos altos fornos 1 e 2 é outro investimento da Gerdau. Trata-se de um tipo de “filtro gigante”, que está sendo instalado em todas as áreas onde ocorrem a mistura de matérias-primas que serão levadas aos altos fornos, para sugar a poeira fugitiva desses processos. Com o novo equipamento, a Gerdau prevê reduzir significativamente as emissões. Um investimento de R$ 53 milhões que já está em andamento com previsão para pleno funcionamento no primeiro semestre de 2023. “Além dos investimentos citados, há um projeto de enclausuramento das correias de abastecimento de todos os altos fornos da usina, que também possui viés ambiental positivo. Ele contempla um tapamento de 100% da estrutura de abastecimento do equipamento, eliminando a emissão de particulados nessas áreas e melhorando consideravelmente a qualidade do ar da comunidade ao redor. As obras deste investimento terão início ainda este ano”, ressalta Mauro. 

A Gerdau planeja também investimentos em áreas verdes que cercam a usina até 2024. Ao todo, a unidade possui uma área verde de 38 hectares, o que corresponde a 38 campos de futebol. A gerente de saúde, segurança e meio ambiente da Gerdau, Ana Paula Silva Ferreira, diz que a revitalização da vegetação, que envolve os limites da usina, irá contribuir ainda mais para controlar a dispersão das partículas de poeira na região. “O projeto tem duração de três anos e foi elaborado de acordo com um diagnóstico aprofundado das áreas verdes. Serão priorizados para este ano os setores que precisam de uma intervenção imediata, onde a vegetação superior, que chamamos de dossel, já está consolidada, mas a vegetação de até 2,5 metros precisa ser reforçada. É o caso de um muro verde que será instalado próximo à aciaria, fazendo um fechamento visual natural e que trará beleza para a comunidade, em função das espécies escolhidas”, explica a gerente. Após os investimentos, será mantida uma rotina de longo prazo para monitoramento e manutenção das espécies.  

A usina da Gerdau em Divinópolis tem entre seus diferenciais sustentáveis o baixo índice de emissões de CO2 na atmosfera, ficando perto de zero, com 0,18t CO2/t de aço, em função do processo produtivo utilizar carvão vegetal e sucata ferrosa, que é reciclada. Além disso, a companhia reaproveita 98% da água da unidade e reaproveitamento também dos seus coprodutos. “Das 466 mil toneladas de coprodutos geradas pela Gerdau em 2020, foram reaproveitados 96%, por meio dos nossos clientes que recebem todo o material que pode ser utilizado em outros processos produtivos, alinhado ao conceito de economia circular”, conclui Mauro Castro. Além disso, a Gerdau tem desenvolvido programa de educação ambiental em conjunto com as comunidades da região.