Projeto para preservar o Pampa gaúcho

04/07/2023
O objetivo é criar um banco de sementes nativas e um viveiro para proteger matas ciliares

 

A Lavras do Sul Mineração, em parceria com a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Rio Grande do Sul (EMATER-RS), o grupo de estudos de robótica do Instituto Estadual de Educação Dr. Bulcão, Associação de Quilombolas Corredor dos Munhós e a Associação de Tecelagem Lavrense desenvolve o Projeto Viver, de preservação da fauna e flora do Pampa Gaúcho. O objetivo é criar um banco de sementes nativas e um viveiro para proteger matas ciliares, nascentes e rios no município de Lavras do Sul e região.

O projeto é uma idealização de Paulo Serpa, country manager da Lavras do Sul Mineração, e será administrado por Gabriel Parodi, técnico em mineração da empresa, Fernanda Carvalho, desenvolvedora de projetos sociais da companhia, com o apoio técnico dos profissionais da EMATER-RS, Alice Araldi, extensionista social rural, e Joanderson Forgiarini, chefe da EMATER Lavras do Sul, que contribuirão para o desenvolvimento das mudas e a preservação do DNA biológico, possibilitando a reprodução e catalogação das árvores e plantas.

A primeira etapa do projeto terá também a participação de Amilton Camargo, da Associação Quilombola Corredor dos Munhós, que apoiará o manejo e coleta de mudas e sementes, e Edinara Brasil, da Associação de Tecelagem Lavrense, que irá coordenar a confecção dos cachepôs de feltro feitos de lã ovina, material orgânico que substituirá o plástico e irá agregar benefícios às mudas devido ao processo de decomposição após o plantio. “Um trabalho integrado, no qual cada instituição está aportando conhecimento, tecnologia e introduzindo boas práticas a favor do progresso sustentável do município”, explica Serpa.

Em maio, o grupo que desenvolve o projeto visitou a Comunidade Quilombola Corredor dos Munhós, localizada na Mantiqueira (zona rural), para coletar as primeiras sementes e aprender como os quilombolas resguardam e preservam a vegetação que cobre as serras gaúchas. Com a etapa de coleta de sementes concluída, as próximas etapas do Projeto Viver incluem a organização do viveiro, da estufa e, em agosto, o início do plantio das primeiras mudas. Para tornar isso possível, a Lavras do Sul Mineração cederá o espaço que servirá como laboratório para abrigar os principais exemplares e espécies de plantas ornamentais e medicinais do bioma gaúcho. “Precisamos aprender como usufruir do que a natureza nos oferece com sabedoria, para que os frutos sejam permanentes. Em nome do interesse coletivo, esse é o atual desafio da sociedade”, diz Serpa.

Direto da Fonte