Faturamento do setor cai 6,8% em março

28/04/2022
Números observados no primeiro trimestre do ano indicam desaceleração da atividade industrial, iniciada no último trimestre de 2021.

Segundo levantamento da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), o faturamento do setor alcançou R$ 25.167 milhões em março de 2022, queda de 6,8% sobre o mesmo mês de 2021. A receita líquida interna somou R$ 20.139 milhões, 9,6% a menos que no mesmo mês do último ano. Já o consumo aparente mensal totalizou R$ 31.664 milhões, um recuo de 13,4% quando comparado com março de 2021. No primeiro trimestre de 2022, o faturamento atingiu R$ 67.418 milhões, 5,3% inferior ao mesmo período de 2021, enquanto a receita líquida interna somou R$ 53.672 milhões, 7,8% a menos que no mesmo trimestre de 2021. Já o consumo aparente alcançou R$ 87.938 milhões, 7,7% inferior ao primeiro trimestre do último ano. 

As vendas externas somaram US$ 1.011,87 milhões em março de 2022, o que corresponde a crescimento de 45,3% sobre o mesmo mês de 2021, enquanto as importações dispararam 8,8% no mês, para US$ 2.136,60 milhões. Com isto, o saldo da balança comercial do setor em março fechou com déficit de US$ 1.124,73 milhões, um decréscimo de 11,3% em relação ao saldo de março de 2021. As exportações somaram US$ 2.606,32 milhões até março, um aumento de 36,6%, enquanto as importações ficaram em US$ 5.937,48 milhões, 15,9% superior ao primeiro trimestre de 2021. Isto fez com que o saldo do setor registrasse US$ 1.124,73 milhões, uma redução de 65% sobre o primeiro trimestre de 2021. 

Os números observados no primeiro trimestre do ano indicam que a desaceleração da atividade industrial, iniciada no último trimestre de 2021, principalmente nos setores ligados ao consumo das famílias, continuam impactando negativamente os investimentos produtivos de alguns segmentos. 

Durante o mês de março de 2022 houve recuperação no nível de utilização da capacidade instalada da indústria brasileira de máquinas e equipamentos em relação ao mês de fevereiro de 2022, mas queda sobre o mesmo mês de 2021, ao atingir 79,3% de uso. A carteira de pedido, medida em número de semanas para atendimento, também aumentou em relação a fev22 (+2,1%) e ficou abaixo de mar21 (-3,5%). Estes dados refletem o enfraquecimento das atividades dependentes do poder de consumo da população. 

A indústria de máquinas e equipamentos registrou praticamente 389,1 mil pessoas empregadas diretamente em março de 2022, um aumento de 8,1% na comparação com março de 2021. Até março de 2022 foram criados, em média, 388,8 mil empregos no setor, um crescimento de 10,3% em relação aos três meses iniciais de 2021.