Balanço positivo nos 120 anos da companhia

02/12/2021
A Gerdau registrou Ebitda ajustado de R$ 7 bilhões no terceiro trimestre, recorde nos 120 anos de história da empresa.

A Gerdau participou de reunião da Apimec (Associação dos Profissionais de Investimentos de Mercado de Capitais) no dia 30 de novembro, onde mostrou o desempenho financeiro e a jornada ESG (Environmental, Social and Governance, na sigla em inglês) da companhia. O CEO Gustavo Werneck, o CFO Harley Scardoelli, e o vice-presidente Marcos Faraco falaram sobre visão de futuro e trouxeram as expectativas da empresa para o próximo ano nos mercados em que está presente. "Estamos investindo mais de R$ 2,3 bilhões para a modernização e ampliação das nossas operações de aços especiais em um período de cinco anos. Boa parte deste valor é destinada à unidade de Pindamonhangaba (SP), onde iniciaremos a operação de um novo lingotamento contínuo em agosto de 2022, resultando em um processo mais automatizado e com melhor rendimento. Também destaco a retomada da produção de fio-máquina na planta de Charqueadas, para abastecer o mercado de fixadores, e a importante conclusão da modernização da usina de Monroe, nos Estados Unidos", comentou Werneck. Ainda segundo ele, o mercado de aços especiais segue promissor no Brasil, tanto pela demanda por veículos pesados quanto pelo segmento de energia eólica, que alcançou 20 GW de capacidade instalada no País. 

Na América do Norte, a Gerdau vê boas possibilidades com o pacote de investimentos de US$ 1,2 trilhão em infraestrutura. A siderúrgica atingiu capacidade acima de 90% devido à manutenção da demanda por aço em patamares altos. "Destaco também que seguimos empenhados em viabilizar formas renováveis de produção de energia. Iniciamos a construção de um parque solar adjacente à nossa usina de Midlothian, no Texas, que permitirá que a unidade funcione movida a energia solar", apontou Werneck.

Já Faraco comentou o 2021 positivo até o momento, com capacidade de produção em torno de 80% no Brasil. A alta capacidade de produção é explicada pelo bom desempenho de alguns setores, como a construção civil, que aumentou em 40% sua demanda em 2021 no Brasil e segue com tendência positiva para o próximo ano. O executivo também citou a retomada da infraestrutura este ano, além do setor industrial, com destaque para a agricultura (máquinas, tratores, colhedeiras), máquinas amarelas (crescimento de quase 50% em 2021) e energia (são mais de 20 parques eólicos com produtos Gerdau em 2021, com tendência de crescimento).

Com a demanda em alta, Faraco comunicou que a estratégia da Gerdau inclui crescimento, com investimentos nas usinas de Ouro Branco (MG), Caucaia (CE) e Araucária (PR) e em perfis estruturais; sustentabilidade, com o aumento da base florestal para produção de carvão vegetal utilizado na produção; investimento em Indústria 4.0; e valor agregado, com a expansão dos portfólios e capilaridade proporcionada pelas unidades da Comercial Gerdau.

A Gerdau registrou Ebitda ajustado (lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) de R$ 7 bilhões no terceiro trimestre, recorde nos 120 anos de história da empresa, e com margem Ebitda ajustada de 32,9%. A empresa teve um fluxo de caixa livre positivo de R$ 3,8 bilhões no terceiro trimestre, maior valor gerado na série histórica. "O fluxo de caixa corrobora nosso comprometimento com a remuneração adequada do capital investido, somado ao compromisso da companhia com sua posição de liquidez", afirmou Scardoelli. "Investimos, ao longo de 2021 cerca de R$ 1,8 bilhão. A previsão de desembolso de CAPEX para o ano segue estimada em R$ 3,5 bilhões, o que inclui investimentos em modernização e ampliação da capacidade nas operações de negócios no Brasil, na América do Norte e em aços especiais", concluiu Scardoelli.

Para concluir, Werneck afirmou que a Gerdau ter uma visão digital gerou ganhos de quase US$ 200 milhões de 2018 até agora. “Apenas neste ano, a receita proveniente da venda de aço em canais digitais mais do que quadruplicou em comparação ao ano anterior, enquanto ganhamos 13 mil novos clientes digitais. É um movimento que deve se acelerar em todos os países em que estamos presentes", contou. O CEO destacou a aprovação, por parte do Conselho de Administração, da proposta de inclusão de metas de desempenho ESG no seu Plano de Incentivo de Longo Prazo para a liderança sênior da companhia. 

Com validade a partir de 2021, a norma estipula que cerca de 20% do valor dos bônus de longo prazo incorporados à remuneração variável dos executivos estarão condicionados ao cumprimento de duas metas ESG: porcentagem de mulheres em cargos de liderança e emissões de gases do efeito estufa. "Além disso, as demais prioridades ESG incluem nosso trabalho com diversidade e inclusão, o mapeamento de todos os riscos que envolvem o negócio e o foco na Gerdau Next, nosso braço de novos negócios, na busca por soluções em sustentabilidade", finalizou.

Tags