Recorde em todas as unidades de negócios

04/08/2021

A Usiminas obteve Ebitda Ajustado Consolidado de R$ 5,1 bilhões no segundo trimestre de 2021, com recorde em todas as unidades de negócios. Nos três primeiros meses deste ano, o Ebtida Ajustado Consolidado da companhia havia ficado em R$ 2,4 bilhões. A margem Ebitda Ajustado foi de 52,8% contra os 34,2% registrados no trimestre anterior (1T21). O lucro líquido cresceu 277% e passou de R$ 1,2 bilhão no primeiro trimestre do ano para R$ 4,5 bilhões no segundo trimestre, o maior lucro líquido trimestral. O resultado se deve, principalmente, ao maior resultado operacional e ao reconhecimento de créditos fiscais e ganhos cambiais líquidos no período, ante perdas cambiais no primeiro trimestre.

Outro destaque do período foi a situação do caixa da companhia. Em 30/06/21, o Caixa e Equivalente de Caixa consolidado da Usiminas era de R$ 6,1 bilhões, uma alta de 31,6% em relação à posição de 31/03/21. Já a dívida bruta consolidada ficou em R$ 5,8 bilhões, 7% inferior à situação registrada no final do primeiro trimestre do ano. As vendas de aço somaram 1,31 milhão de toneladas no segundo trimestre, o maior resultado desde o terceiro trimestre de 2014. O mercado interno respondeu por 1,25 milhão t das vendas, maior volume desde o primeiro trimestre de 2014. 

Na Mineração Usiminas, as vendas de minério de ferro ficaram em 2,1 milhões de toneladas no segundo trimestre, contra 1,9 milhão registrado nos três primeiros meses do ano. 

O Capex da Usiminas totalizou R$ 335 milhões no trimestre, 40,5% superior ao registrado nos três primeiros meses do ano e os recursos foram destinados, principalmente, para manutenção, segurança e meio ambiente. “Mesmo com todos os desafios, muitos deles ainda em curso, tivemos a satisfação de encerrar mais um trimestre na Usiminas com resultados muito positivos. Graças ao trabalho de uma equipe com grande capacidade e comprometimento, conseguimos sair de um cenário, que em 2016 era de completa fragilidade da companhia, para um período de forte recuperação e reposicionamento da empresa no mercado. Afora os problemas estruturais do país, enfrentamos ainda crise mundial sem precedentes com a pandemia e conseguimos manter nossos principais resultados em curva ascendente e com foco no atendimento dos nossos clientes do mercado interno”, avalia o presidente da companhia, Sergio Leite.

Na agenda ESG da Usiminas, os destaques do segundo trimestre ficaram com os resultados já obtidos nos temas Diversidade e Inclusão e CO2/Energia. Na primeira, a meta de alcançar 10% de mulheres atuando na área industrial da companhia seguiu em linha com o planejado e fechou o segundo trimestre do ano totalizando 3,6%. No que diz respeito às emissões de Gases de Efeito Estufa, outra meta com avanços importantes, o período foi marcado pela conclusão do inventário de emissões com certificação independente para participação da companhia no CDP – Carbon Disclosure Project. Ainda na agenda ESG, destaque também para os avanços na estratégia de sustentabilidade da companhia, com iniciativas como o lançamento da Norma de Sustentabilidade, que estabelece os princípios e diretrizes para a atuação das empresas Usiminas, e o relatório 2020. 

Em relação à produção de aço bruto, a Usina de Ipatinga registrou 751 mil toneladas no segundo trimestre, queda de 3,7% quando comparada aos três meses iniciais do ano e alta de 40,9% quando comparada a igual período do ano passado. Já a produção de laminados nas usinas de Ipatinga e Cubatão atingiu 1,3 milhão de toneladas no último trimestre, aumento de 2,5% em relação ao trimestre anterior e de 95,9% na comparação com o mesmo trimestre do ano passado. No segundo trimestre deste ano, foram processadas, ainda, 652 mil toneladas de placas adquiridas. 

Na unidade de Siderurgia, a Usiminas registrou vendas totais de 1,32 milhão de toneladas de aço no segundo trimestre de 2021, maior volume de venda trimestral da unidade desde o terceiro trimestre de 2014. Com isso, o Ebitda Ajustado da Siderurgia alcançou R$ 3,4 bilhões no período, 172,4% superior ao do primeiro trimestre do ano, melhor resultado da unidade. A margem Ebitda Ajustado ficou em 44,4% no 2T21, contra 21,8% do primeiro trimestre do ano. Na Mineração Usiminas, a produção atingiu 2,2 milhões de toneladas no segundo trimestre de 2021, crescimento de 9,9% quando comparada com o trimestre anterior. A Mineração Usiminas vendeu 2,1 milhões de toneladas de minério de ferro no período, 5,4% a mais na comparação com os três primeiros meses do ano. O Ebitda Ajustado dessa unidade de negócio alcançou R$ 1,5 bilhão no segundo trimestre, nova máxima histórica de Ebitda em um trimestre. Quando comparado com os três meses anteriores, o Ebitda Ajustado da unidade teve alta de 38% no segundo trimestre do ano. A margem Ebitda Ajustado ficou em 71,5% no 2T21, contra 73% no trimestre anterior.

Na Soluções Usiminas, empresa que atua no mercado de distribuição de aço, serviços, fabricação e venda de tubos de pequeno diâmetro, a receita líquida no segundo trimestre atingiu R$ 2,4 bilhões, 38,7% superior em relação aos três primeiros meses deste ano, quando já havia registrado sua maior receita líquida da história da empresa, de R$ 1,7 bilhão. O Ebitda Ajustado da Soluções Usiminas no segundo trimestre ficou em R$ 429 milhões, registrando alta de 73,3% quando comparado ao primeiro trimestre de 2021 e também máxima histórica da empresa. A margem Ebitda Ajustado no período foi de 17,8%, contra 14,2% no trimestre anterior.

Tags