Lithium Ionic prevê investir US$ 266 milhões no projeto Bandeira, no Vale do Lítio

30/05/2024
O projeto prevê uma operação de mineração subterrânea com vida útil de 14 anos, produzindo uma média de 178 mil t/ano de concentrado

 

A Lithium Ionic anuncia os resultados de um estudo de viabilidade para seu Projeto Bandeira Lithium, localizado em Minas Gerais, na região do Vale do Lítio. As áreas controladas pela empresa no projeto abrangem 157 hectares, o que representa apenas cerca de 1% do extenso pacote de direitos minerários de 14.182 hectares da Lithium Ionic no Vale do Lítio, região considerada de importância global para a produção de lítio em rocha dura.

O projeto prevê uma operação de mineração subterrânea com vida útil de 14 anos, produzindo uma média de 178 mil toneladas de concentrado de espodumênio de alta qualidade com teor de 5,5% Li 2 O.

O Valor presente líquido após impostos é de US$ 1,3 bilhão e a taxa interna de retorno após impostos soma 40% ao preço médio de US$ 2.277/t. Os custos operacionais são considerados líderes no setor, ficando em torno de US$ 444 por tonelada de concentrado.

O Capex previsto para o empreendimento é de US$ 266 milhões e os custos de manutenção, ao longo da vida útil, alcança US$ 81 milhões.

Segundo a Lithium Ionic, o plano de desenvolvimento “contempla uma operação de mineração subterrânea com um circuito de processamento simples, para otimizar as recuperações e minimizar o impacto no meio ambiente e nas comunidades locais”.

Por razões ambientais e de segurança, como informa a empresa, a mina utilizará a disposição de resíduos empilhados a seco, o que, entre outros benefícios, reduzirá o uso de água e facilitará a reabilitação do local.

O total estimado de impostos a serem gerados é da ordem de US$ 915 milhões e durante o pico da obra deverão ser engajados 870 funcionários, com um valor estimado de US$ 677 milhões em aquisição de bens e serviços no Brasil durante a vida da mina.

A empresa espera a liberação da Licença Ambiental Concomitante (LAC), pedida em novembro de 2023, para dar início à construção, o que é esperado para o terceiro trimestre de 2024.

De acordo com o CEO da Lithium Ionic, Blake Hylands, o estudo marca um importante passo no desenvolvimento do empreendimento, confirmando os resultados do Estudo de Avaliação Preliminar, realizado no final de 2023, “solidificando nosso caminho para nos tornarmos um produtor de lítio no curto prazo. Além disso, descreve os impactos positivos significativos que Bandeira terá através do emprego, das contribuições fiscais e das compras locais. Embora estejamos muito satisfeitos com os resultados do estudo, pretendemos avançar a engenharia do projeto para a fase de engenharia básica, onde ocorrerá um processo de agregação de valor para otimizar e racionalizar ainda mais os custos de capital e operacionais. Várias oportunidades identificadas na fase de viabilidade serão submetidas a estudos de compensação, antes de entrarem na fase de engenharia detalhada, para garantir que o valor do projeto e a eficiência operacional sejam maximizados. Esperamos continuar a avançar rapidamente em Bandeira em direção à produção, reconhecendo que isso agregará maior valor ao nosso acionista, no entanto, estamos muito entusiasmados com as oportunidades de crescimento e potencial de desenvolvimento em nossas outras propriedades regionais, que podem apresentar oportunidades significativas de escala futura para a empresa."

O plano de mineração do estudo baseia-se numa estimativa de recursos Medidos e Indicados de 20,95 milhões de toneladas de espodumênio com 1,35% de Li 2 O (697 mil t de LCE), além de 16,91 milhões t de recursos inferidos, com classificação de 1,40% de Li 2 O (584 mil t de LCE) inferida. Posteriormente o plano deve incorporar novos recursos quantificados após Estudo de Avaliação Preliminar.