AVB capta R$ 400 milhões em CRAs

20/07/2022
Parte do valor captado será investido no plantio de florestas de eucalipto e aquisição de lenha e atingir a capacidade instalada de 600 mil toneladas por ano.

A Aço Verde do Brasil (AVB) captou R$ 400 milhões em Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA) em duas séries, das quais a primeira de R$337,5 milhões e R$ 62,5 milhões, com vencimentos de sete e dez anos, respectivamente. Iniciado em mio, o processo foi concluído neste mês e teve coordenação do Itaú BBA e XP. Os papéis foram oferecidos para investidores qualificados.

A emissão da AVB tem como particularidade o fato de uma indústria siderúrgica realizar a transação com Recebíveis do Agronegócio. Os CRAs são certificados que atendem negócios relacionados a produtores rurais ou cooperativas do setor do agronegócio com o objetivo de estimular e financiar a comercialização, beneficiamento ou industrialização de insumos ou máquinas e implementos utilizados exclusivamente na produção agropecuária. 

O CRAs para a siderúrgica foi possível graças à produção integrada à base de biocarbono, ou seja, uma biomassa renovável, ao invés do consumo de combustíveis fósseis, como o coque (oriundo do carvão mineral), sendo certificada com emissão zero de carbono. “Somos a primeira siderúrgica do mundo reconhecida a produzir aço carbono neutro. O movimento dos investidores hoje é de buscar e valorizar empresas que atendam os pilares ESG e demonstrem esse crescimento consistente. Perfil totalmente alinhado à AVB”, afirma Silvia Nascimento, CEO da Aço Verde do Brasil. 

Parte do valor captado será investido no plantio de florestas de eucalipto e aquisição de lenha e para atingir gradualmente a atual capacidade instalada de 600 mil toneladas de aços longos por ano. A grande procura pelos CRAs da AVB atendeu a expectativa dos stakeholders quando foi realizada a emissão. explica. No 1º trimestre de 2022 a empresa obteve recorde na receita líquida de quase R$ 370 milhões, crescimento de 29% no volume de vendas em relação ao 1º trimestre de 2021 e 10,3% em relação ao 4º trimestre de 2021. A captação de R$ 400 milhões não altera o nível de alavancagem da companhia, uma vez que os valores ampliarão os recursos já disponíveis em caixa. 

A primeira emissão de CRA da AVB no mercado de capitais foi realizada em maio de 2021 no valor de R$ 250 milhões, volume utilizado para fortalecer o caixa da companhia, para compra de produtos agrícolas, plantio e produção de madeira. Na ocasião, os resultados obtidos foram recordes: R$1,4 bilhão e crescimento de 57,4% em receita líquida. Em novembro do mesmo no, a AVB recebeu da Comissão de Valores Imobiliários (CVM) o registro na categoria B. “Esses números expressivos são resultados da nossa produção verticalizada e eficiência em processos produtivos, além de outras tecnologias que nos posicionam como um diferencial no setor siderúrgico no mundo”, ressalta Gustavo Bcheche, Diretor Financeiro e de Relação com Investidores da AVB “Estamos em um processo de aprendizado e aproximação com o mercado. Além disso, há o comprometimento da direção e do conselho da AVB, consolidando ainda mais o ambiente de governança indispensáveis para esse objetivo”, finaliza Bcheche.