Apoio a projeto de agricultura familiar na Bahia

16/11/2021

A RHI Magnesita promove intercâmbio de conhecimento entre agrônomos e agricultores por meio de um aplicativo, o ManejeChat no município de Brumado (BA). O projeto atinge a comunidade Pedra Preta e o primeiro impacto da ferramenta na horta comunitária de Pedra Preta foi o salto no número de famílias agricultoras, que cresceu mais de quatro vezes – de oito para 34.

A parceria, germinada nos canteiros de inovação do Fiemg Lab, fez crescer a produção, a renda e o número de famílias que tiram o sustento da horta comunitária presente na localidade. Se antes os produtores rurais não dispunham de qualquer auxílio e orientação sobre como cultivar mais e melhor, agora 100% deles contam com suporte especializado. Atualmente, a horta comunitária de Pedra Preta registra produtividade média de 67 mil unidades alimentícias por hectare, crescimento de 8,94% na comparação com o período anterior ao projeto. A horta produz hortaliças, leguminosas e frutos, dentre outros gêneros.

Em 2021 foram vendidos 2.333 produtos agrícolas, dos quais 1.526 foram comercializados no período posterior à implantação do projeto em conjunto com a ManejeBem, representando crescimento de 51,45% nas vendas mensais da horta. Além disso, 5.559 unidades foram consumidas pelas famílias ou doadas.

Em quatro meses de ManejeChat, o projeto registra 522 atendimentos, somando 440 horas de assistência técnica agrícola. Com a ferramenta, o agricultor tira dúvidas e pode acessar conteúdos, além de compartilhar impressões e descobertas. "Estamos orgulhosos dos resultados alcançados e de participarmos do desenvolvimento sustentável de uma atividade essencial, a agricultura familiar, que promove renda para tantas pessoas. E nos dá ainda mais alegria ver que a tecnologia é nossa aliada nesse objetivo, comprovando que a inovação pode e deve ser aplicada em todas as áreas", comemora Lucilla Soledade, especialista em Comunicação e Relacionamento com as Comunidades da RHI Magnesita. Já Karolina Rosa, da ManejeBem diz que a tecnologia ajuda a capacitar os agricultores sobre os diferentes tipos de sementes, fornecimento de nutrientes para cada fase das plantas, manejo de canteiros, opções de inseticidas naturais, controle de pulgão e fumagina nos citros, fontes alternativas de nutrientes para as plantas, entre outras técnicas. 

Um dos diagnósticos que antecederam a implantação do ManejeChat identificou que existiam dois fatores decisivos para os problemas da horta: falta de procedimentos de gestão, que atingia 97% das famílias envolvidas na produção, e falta de controle da comercialização dos alimentos. Com o projeto, as famílias tiveram capacitação em áreas como gestão financeira, noções básicas sobre negócios, despesas, ganhos e distribuição do lucro. Cada produtor recebeu um caderno de campo para registro do fluxo de transações da horta comunitária. A totalidade dos produtores participantes declararam que o projeto atendeu às expectativas e 84% deram nota máxima de satisfação com o aplicativo. A tecnologia ganhou aperfeiçoamentos a partir do feedback dos agricultores, incorporando melhorias de design, novas ferramentas e funcionalidades e integração com o WhatsApp.