Produção brasileira cresce 22% até julho

20/08/2021
Produção brasileira de aço bruto atingiu 21 milhões de toneladas nos sete primeiros meses de 2021.

Segundo números do Instituto Aço Brasil (IABr), a produção brasileira de aço bruto atingiu 21 milhões de toneladas nos sete primeiros meses de 2021, o que representa um aumento de 22% na comparação com o mesmo período do último ano. A produção de laminados somou 15,6 milhões de toneladas até julho, incremento de 32,6%, enquanto a produção de semiacabados para vendas totalizou 4,8 milhões de toneladas de janeiro a julho de 2021, um acréscimo de 0,2% na mesma base de comparação. 

As vendas internas foram de 14,1 milhões de toneladas até julho de 2021, um crescimento de 38,4% quando comparada com o apurado no mesmo período de 2020. O consumo aparente nacional de produtos siderúrgicos atingiu 16,4 milhões de toneladas, uma alta de 44,9% frente ao registrado nos sete meses iniciais de 2020. 

As importações alcançaram 3 milhões de toneladas no acumulado até julho de 2021, um aumento de 154% frente ao mesmo período do ano anterior. Em valor, as importações atingiram US$ 2,8 bilhões e avançaram 115,8% no mesmo período de comparação. Já as exportações somaram 6,2 milhões de toneladas, ou US$ 4,7 bilhões, de janeiro a julho de 2021, o que significa retração de 10,5% e aumento de 39,2%, respectivamente,  na comparação com o mesmo período de 2020. 

Apenas em julho de 2021 a produção brasileira de aço bruto foi de 3 milhões de toneladas, acréscimo de 14,5% frente ao mesmo mês de 2020. Já a produção de laminados foi de 2,2 milhões de toneladas, 35,4% superior à registrada em julho de 2020, enquanto a produção de semiacabados para vendas foi de 681 mil toneladas, uma queda de 12,1% em relação ao ocorrido no mesmo mês de 2020.

As vendas internas cresceram 11,2% e atingiram 2 milhões de toneladas, enquanto o consumo aparente de produtos siderúrgicos somou 2,4 milhões de toneladas, 23,9% a mais que em julho de 2020. As exportações de julho foram de 978 mil toneladas, ou US$ 872 milhões, o que resultou em aumento de 11,8% e 122,6%, respectivamente, na comparação com o ocorrido no mesmo mês de 2020. As importações de julho de 2021 foram de 512 mil toneladas e US$ 481 milhões, uma alta de 250,7% em quantum e 182,5% em valor na comparação com o registrado em julho de 2020. 

Este desempenho levou o Aço Brasil a rever as previsões de crescimento do consumo aparente em 2021 de 15% para 24%, devendo atingir 26,6 milhões de toneladas. Os números mostram que a indústria brasileira do aço está produzindo e atendendo seus clientes em volumes superiores àqueles verificados antes do início da pandemia COVID-19, não se justificando, portanto, pedidos de redução do imposto de importação de produtos siderúrgicos apresentados ao governo”, disse Marco Polo de Mello Lopes, presidente executivo do Instituto Aço Brasil. 

O executivo comenta que o mercado está abastecido e sem qualquer excepcionalidade que justifique tal iniciativa. O Aço Brasil divulgou também o Indicador de Confiança da Indústria do Aço (ICIA), referente ao mês de agosto. O ICIA cresceu 9,6 pontos frente ao mês anterior, para 68,9 pontos. A alta, após dois meses de queda, fez o indicador ficar 7,7 pontos acima da média histórica, de 61,2 pontos. “O aumento da confiança dos CEO's da indústria do aço se deveu, principalmente, à melhora das expectativas em relação aos próximos seis meses".