Credores propõem assumir mineradora

20/05/2022
A medida segue a rejeição da proposta de reestruturação de dívida da joint-venture por seus credores em abril passado.

Os detentores de títulos da Samarco Mineração propuseram um plano de reestruturação alternativo, pelo qual os credores financeiros assumiriam o controle da empresa, informou a Reuters. A medida segue a rejeição da proposta de reestruturação de dívida da joint-venture brasileira de mineração Samarco por seus credores em abril passado.

O grupo de detentores de títulos da Samarco inclui gestores de ativos como Oaktree Capital, Solus Alternative Asset Management, Silver Point Capital e GoldenTree Asset Management. Esses detentores de títulos esperam converter a maior parte da dívida de US$ 4 bilhões relacionada ao desastre da barragem da Samarco em capital. 

Joint Venture entre Vale e BHP, a Samarco entrou com pedido de recuperação judicial em 2021 para evitar que possíveis reclamações de credores impactassem suas operações. A empresa foi sobrecarregada com empréstimos após o rompimento da barragem na mina de Mariana (MG), em 2015. 

Renato Franco, fundador da consultoria de credores Integra Associados, disse que os credores devem deter 90% da Samarco após a conclusão da reestruturação. A Vale e a BHP devem buscar os direitos no tribunal de falências para votar no plano proposto. Caso os direitos de voto sejam negados para as duas empresas, o plano de reestruturação proposto poderá ser aprovado facilmente, segundo a agência de notícias.

Os credores também estão procurando aumentar a produção e acelerar a geração de fluxo de caixa dentro de um determinado período de tempo. Em resposta à proposta dos credores no processo de falência, a Samarco disse que pretende tomar medidas legais para impedir a implementação das propostas que ameacem “sua perenidade ou não considerem a importância de sua função social e ações reparadoras”.

Tito Martins, ex-executivo da Vale que assessora os credores da Samarco, deve ser nomeado presidente da empresa. Martins disse que a Integra Associados e o banco de investimentos Houlihan Lokey podem considerar a possibilidade de alienar a Samarco para um investidor estratégico, ao melhorar o fluxo de caixa.