Relatório aponta demanda de metais críticos

04/11/2021

A CSIRO lançou o relatório “Desconhecidos conhecidos: o diabo nos detalhes da demanda de metal de energia”, que utiliza a ferramenta personalizada Physical Stocks and Flows Framework (PSFF) para examinar três metais de bateria elétrica (cobalto, lítio e níquel) em três cenários de absorção distintos. 

O líder da missão em desenvolvimento da Critical Energy Metals da CSIRO, Dr. Jerad Ford, disse que a ferramenta PSFF usa fatores não contabilizados atualmente nas previsões tradicionais para testar as premissas de oferta e demanda. “Sabemos que a demanda por muitos metais aumentará substancialmente à medida que o mundo fizer a transição para uma economia de baixo carbono”, disse o Dr. Ford.  O especialista disse ainda que modelos pouco sofisticados com base nos níveis de fornecimento atuais e taxas básicas de reciclagem levam a muitas caracterizações errôneas das oportunidades reais, tanto na mineração de metal quanto na reciclagem, pois ignoram a dinâmica dos fluxos de materiais em escala global e as mudanças esperadas nas tecnologias subjacentes. 

Ford diz que é comumente assumido que a demanda por metais recém-extraídos como cobalto e níquel continuará a aumentar no futuro previsível, pois eles são essenciais para baterias de íon-lítio de alto desempenho usadas em veículos elétricos. “Mas levando em consideração fatores adicionais, como mudanças na química da bateria, absorção mais rápida de EV e níveis mais altos de reciclagem, a ferramenta PSFF sugere que, mesmo dentro do mesmo cenário, a nova demanda de cobalto pode ter uma janela de demanda extremamente curta antes de um excesso prolongado, enquanto o níquel atinge o pico mais cedo, depois cai drasticamente, e o lítio permanece mais forte por mais tempo antes de também diminuir nos anos seguintes”. “Isso desafia a sabedoria convencional de que a demanda por esses metais de bateria se espelhará”, disse o Dr. Ford. 

O relatório também analisa o potencial de aposentadoria de baterias EV para atender aos requisitos de armazenamento de eletricidade de uma rede elétrica baseada em energias renováveis. No entanto, o PSFF não se destina a ser usado como uma ferramenta de previsão. “Mesmo um PSFF totalmente abrangente não pode fornecer previsões completamente 'precisas' porque existem tantas incógnitas, interações e complexidades em torno da demanda futura por metais, como os preços dos metais e os efeitos de substituição”, disse o Dr. Ford. A ferramenta, no entanto, permite o desenvolvimento de cenários internamente consistentes para explorar como as 'visões' sobre os principais componentes da transição energética irão se desenvolver e interagir entre si. Segundo Ford, ela não se limita apenas a metais de bateria e pode ser usada por líderes sempre que novas tecnologias importantes exigirem novas misturas de metais, para inserir suas suposições sobre o mercado e entender as implicações para seus negócios. “Essa ferramenta nos permite fazer suposições sobre uma série de fatores para testar como será a oferta e a demanda para diferentes metais sob essas condições, capacitando as empresas australianas a gerenciar o risco e ficar à frente do mercado”, disse o Dr. Ford.

O cientista experimental sênior da CSIRO, Dr. Jim West, construiu o modelo e foi coautor do relatório. “Estamos atualmente nos estágios iniciais de envolvimento com parceiros externos e prontos para fazer parceria com a indústria e o governo para desenvolver cenários sob medida que refletem os principais interesses dos parceiros”, disse o Dr. West. “Nosso objetivo geral é desenvolver e compartilhar melhor nossa capacidade, para ajudar a indústria australiana a fazer os investimentos mais inteligentes em direção a um futuro de baixo carbono.”

Para baixar o relatório, em inglês, clique aqui.