Prejuízo de US$ 143 milhões no terceiro trimestre

21/10/2021
A receita operacional do terceiro trimestre foi de US$ 121 milhões, em comparação com US$ 384 milhões no ano anterior.

A Yara registrou prejuízo de US$ 143 milhões no terceiro trimestre de 2021 em comparação com o lucro líquido de US$ 340 milhões obtidos um ano antes. O resultado inclui um prejuízo de US$ 355 milhões dos ativos de Salitre e uma perda de conversão de moeda de US$ 148 milhões. Excluindo os efeitos cambiais e itens especiais, o lucro básico por ação foi de US$ 1,33 em comparação com US$ 0,88 por ação no terceiro trimestre de 2020.

“A Yara apresenta resultados sólidos no terceiro trimestre, com EBITDA, excluindo itens especiais, de 37%, principalmente graças às margens melhoradas. No entanto, o aumento do preço do gás na Europa fez com que a Yara reduzisse cerca de 40% de sua produção europeia de amônia”, disse Svein Tore Holsether, presidente e CEO da empresa. O executivo diz ainda que a produção europeia de nitrogênio é essencial para a segurança alimentar global e, portanto, a empresa preocupa-se com o impacto que os atuais preços do gás natural na Europa terão, especialmente para as regiões mais pobres do mundo. “A Yara fará o possível para fornecer aos agricultores e apoiar a produção global de alimentos. A situação atual demonstra claramente a necessidade de cadeias de abastecimento de alimentos mais resilientes, e apelo às autoridades, organizações internacionais e atores da cadeia de valor de alimentos para trabalharem juntos para garantir o abastecimento global de alimentos”, disse Holsether. 

A receita operacional do terceiro trimestre foi de US$ 121 milhões, em comparação com US$ 384 milhões no ano anterior. As principais soluções de alimentos e posições de amônia da Yara estão bem posicionadas para abordar e criar oportunidades de negócios a partir de desafios globais, como as demandas de aumento da eficiência dos recursos e a redução da pegada ambiental, que exigem transformações significativas tanto na agricultura quanto na economia do hidrogênio.