Bravo capta US$ 40,25 milhões para projeto em Carajás

01/08/2022
O Projeto Luanga consiste do grupo de metais da platina (paládio + platina + ródio) + ouro + níquel (PGM+Au+Ni), e já conta com 42 perfurações a diamante.

A Bravo Mining Corp., liderada por Luis Maurício Azevedo, realizou Oferta Pública de Ações (IPO) de 23 milhões de ações ordinárias a um preço de US$ 1,75 por papel, com receitas brutas de US$ 40.250 milhões. As ações já estão sendo negociadas na TSX Venture Exchange (TSXV) sob o símbolo “BRVO”. 

A Canaccord Genuity Corp. e a BMO Capital Markets atuaram como co-líderes da IPO representando um consórcio que incluía o National Bank Financial Inc., Cormark Securities Inc. e INFOR Financial Inc. A Bravo concedeu aos agentes uma opção de lote suplementar exercível no todo ou em parte, a critério exclusivo dos agentes, a qualquer momento e por um período de 30 dias após o fechamento do oferta, para vender até 3.450.000 ações ordinárias adicionais da companhia (15% do total número de ações vendidas de acordo com a oferta) por US$ 6.037.500 caso a opção de lote suplementar seja exercida integralmente. “Estamos muito satisfeitos com o apoio demonstrado por nossos atuais e novos acionistas institucionais e de varejo. Nós construímos um registro excepcional de investidores institucionais focados em recursos globais com grande apoio de investidores do varejo. Esta é uma prova que os metais de Luanga (paládio + platina + ródio) + ouro + níquel (PGM+Au+Ni) são o forte de nossa equipe”, disse Luis Azevedo, presidente executivo e CEO da Bravo. 

Segundo ele, os fundos arrecadados, combinados com o balanço patrimonial existente, devem ser mais do que suficientes para financiar o programa de exploração do projeto Luanga, a ser realizado em duas fases. A empresa já recebeu resultados de mais cinco perfurações a diamante (DDH), elevando o total para 42 furos concluídos em sua propriedade integral. O grupo de metais da platina do projeto Luanga (paládio + platina + ródio) + ouro + níquel (PGM+Au+Ni), está localizado em Carajás (PA). A expectativa é que sejam feitos mais 15 furos para análises em laboratório.  “Estamos muito satisfeitos com o sucesso do lançamento da Bravo Mining na TSXV, especialmente considerando as condições do mercado atual, e acredito que isso só reforça a qualidade do Projeto Luanga e sua equipe de gestão”, afirmou Luís Azevedo.