ArcelorMittal firma parceria com Bill Gates

20/09/2021

A ArcelorMittal tornou-se parceira âncora do programa Catalisador da Breakthrough Energy, comprometendo-se com um investimento de capital de US$ 100 milhões nos próximos cinco anos. Fundada por Bill Gates, a Breakthrough Energy está comprometida em expandir as tecnologias de que o mundo precisa para atingir emissões líquidas zero até 2050. Os esforços da Breakthrough Energy incluem meios de investimento, programas filantrópicos, defesa de políticas e outras iniciativas, incluindo Catalyst.

O Catalyst, lançado no início deste ano, é um novo modelo de como empresas, governos e filantropia privada podem financiar, produzir e garantir a ampla adoção de tecnologias limpas de próxima geração. O programa focará inicialmente em quatro tecnologias de descarbonização: captura direta de ar (DAC); hidrogênio verde; armazenamento de energia de longa duração (LDS) e combustível de aviação sustentável (SAF). 

O investimento da ArcelorMittal será feito por meio de seu fundo de inovação XCarb ™, lançado no início de 2021. Até o momento, a ArcelorMittal investiu US$ 10 milhões na Heliogen, uma empresa de energia renovável que se concentra em liberar o poder da luz solar para substituir os combustíveis fósseis, e US$ 25 milhões na Form Energy, que está trabalhando no desenvolvimento de sua inovadora tecnologia de armazenamento de energia. “O programa Catalyst é inovador e necessário. Ele reúne financiamento público e privado com o objetivo de acelerar a implantação de projetos que podem proporcionar uma redução significativa de carbono. Para a ArcelorMittal e a indústria do aço, esse tipo de iniciativa é extremamente importante. A indústria do aço sabe descarbonizar - o que falta essencialmente é a disponibilidade de energia limpa a preços competitivos que forneça a base para que realmente aceleremos. É por isso que, depois de discutir o propósito do Catalyst com Bill, ficamos muito felizes em nos juntarmos como um parceiro âncora”, disse Aditya Mittal, CEO da ArcelorMittal. 

Para alcançar o zero líquido até 2050, a ArcelorMittal tem seu próprio plano abrangente para descarbonizar - como primeiro passo atingir a meta do grupo de reduzir a intensidade das emissões em 25% até 2030 - mas as parcerias para ampliar e acelerar o progresso são vitais. Existem tantas novas empresas e tecnologias interessantes que ajudarão o mundo a se descarbonizar - por meio de nosso fundo XCarb ™ e agora do Breakthrough Energy Catalyst, esperamos ajudar essas empresas a acelerar sua contribuição. Bill gates, fundador da Breakthrough Energy disse que para se evitar um desastre climático, é necessária uma nova revolução industrial. “Precisamos tornar as tecnologias e produtos que não causam emissões tão baratas quanto aquelas que causam, para que o mundo inteiro possa pagar por eles e alcançar nossos objetivos climáticos. Por meio do Catalyst, líderes dos setores público e privado estão se reunindo para focar no apoio a tecnologias que são vitais para o mundo atingir emissões líquidas zero, mas atualmente são muito caras para serem adotadas em escala. Ao coordenar os investimentos e direcioná-los para essas tecnologias críticas, podemos reduzir seus Prêmios Verdes e ajudá-los a chegar ao mercado mais rapidamente, para que possamos todos alcançar nossos objetivos climáticos”. 

A ArcelorMittal publicou recentemente seu segundo relatório de ação climática do grupo, no qual anunciou meta global de redução da intensidade de CO2 e ra em 2030 para 25% e aumentou sua meta europeia de redução da intensidade de CO 2 e em 2030 para 35%. A empresa havia anunciado anteriormente, em setembro de 2020, sua ambição de chegar a zero líquido até 2050. O relatório delineou as cinco alavancas principais - transformação da siderurgia, transformação de energia, maior uso de sucata, fornecimento de eletricidade limpa e compensação de emissões residuais - identificadas como a etapa base para atingir zero líquido até 2050. 

Para conseguir atingir tal êxito , a companhia tem planos para criar a primeira usina de aço com emissão zero de carbono do mundo em Sestao, Espanha, e converter suas operações canadenses de aços planos em siderurgia DRI-EAF por meio de um investimento de CAD $ 1,8 bilhão que reduzirá as emissões de CO2 em 60%.