24/05/2018
LICITAÇÃO DE NOVAS ÁREAS

CPRM lançará edital nos próximos dias

O presidente do Serviço Geológico do Brasil-CPRM, Esteves Pedro Colnago, afirmou que na próxima semana deve ser disponibilizado o edital visando à licitação de quatro áreas do portfólio da CPRM para a iniciativa privada: fosfato de Miriri, nos estados de Pernambuco e Paraíba; cobre, chumbo e zinco em Palmeirópolis, Tocantins; carvão de Candiota, no Rio Grande do Sul; e cobre de Bom Jardim, em Goiás.

Após a publicação do edital, haverá um prazo de 30 dias para apreciação por parte da sociedade e depois desse prazo será realizada uma audiência pública. Após a audiência pública o edital será ajustado e divulgado a partir de agosto. A expectativa é que a concorrência esteja sendo decidida por volta de outubro, com a possível assinatura dos contratos até o final do ano.

Indagado sobre o interesse da iniciativa privada pelas áreas, o dirigente da CPRM disse que a maior procura tem sido pela área de carvão em Candiota e a de zinco em Palmeirópolis. Porém, a partir da audiência pública é que se poderá ter mais clareza sobre o nível de interesse. Ele também anunciou que a CPRM selecionou mais 8 áreas do seu portfólio, das quais 5 estão sendo melhor estudadas e que eventualmente poderão vir a ser licitadas no futuro. Atualmente a CPRM possui mais de 200 áreas sobre as quais detém direitos minerários.

Aerogeofísica

Colnago disse que a CPRM pretende retomar os trabalhos de aerogeofísica, porém direcionando para algumas áreas muito específicas, como é o caso do Quadrilátero Ferrífero, região sul do Pará e norte do Mato Grosso, Complexo Carajás e algumas regiões da Bahia. “O corpo técnico está avaliando onde se deve concentrar, procurando enfocar alguns produtos como fosfato, potássio, lítio, terras raras etc. Nosso orçamento é restrito e o esforço deve ser concentrado, por isto tivemos que reduzir o número de projetos para concentrar as ações e a disponibilidade de recursos em algumas áreas consideradas importantes.” Ele informou que para 2019 a CPRM projeta investir entre R$ 100 milhões e R$ 150 milhões em projetos.