Portfólio será focado em cobre e minério de ferro premium

14/05/2024
A Anglo American pretende atenuar o desenvolvimento para apoiar a desalavancagem do balanço

 

A Anglo American plc apresentou um plano decisivo para, segundo ela, desbloquear um valor significativo de seu portfólio e acelerar a entrega de retornos consistentemente mais fortes para os acionistas. Após concluir a revisão de ativos - iniciada em 2023 – a mineradora planeja implementar uma série de mudanças estruturais importantes para acelerar a entrega de acordo com suas prioridades estratégicas de excelência operacional, simplificação de portfólio e crescimento.

Na área de cobre, a Anglo possui três das dez maiores minas de cobre produtoras da América do Sul, com excelentes dotações de recursos, e com produção definida para várias décadas, além de crescimento competitivo, com um caminho definido para >1 milhão de toneladas anuais de produção de cobre. Quanto ao minério de ferro premium, a produção será focada em produtos 100% premium, voltados para apoiar o projeto de descarbonização do aço, com excelentes recursos no Brasil e na África do Sul.

A Anglo American pretende atenuar o desenvolvimento para apoiar a desalavancagem do balanço, enquanto estudos técnicos críticos devem ser concluídos em 2025, para depois apoiar a distribuição. O Capex será reduzido para US$ 200 milhões em 2025 e nenhum capex em 2026. A mineradora também vai preservar o valor de longo prazo de ativos de alta qualidade com escala de recursos multigeracional. Segundo a Anglo, a transformação de portfólio e estrutura visa ter um negócio 100% voltado para o futuro, incluindo 54% de produção de cobre, em produtos que apoiam a transição energética, melhorando os padrões de vida globais e a segurança alimentar, além de uma entrega comprovada de projetos e liderança em sustentabilidade.

A Anglo informa que conseguiu aumentar a margem Ebitda de 31% para 46% em uma base pro forma de 2023 e reduzir em US$ 1,7 bilhão o custo da nova configuração de portfólio. Isso inclui US$ 0,8 bilhão em benefícios adicionais de custo de taxa anual recorrente antes de impostos a partir do final de 2025. Menos de 1,5x a dívida líquida: a alavancagem do EBITDA no final do ciclo, com distribuição de dividendos de 40% foi mantida.

O segmento de carvão siderúrgico deve ser alienado e atualmente tem forte interesse de compradores, enquanto com o níquel opções serão exploradas cuidadosamente para manutenção ou desinvestimento. Na Anglo American Platinum as atividades serão cindidas de forma responsável e ordenada para otimizar o valor tanto para os acionistas da Anglo American quanto para os acionistas da Anglo American Platinum, enquanto a De Beers deve ser alienada ou cindida, para melhorar a flexibilidade estratégica tanto para a De Beers quanto para a Anglo American.

“Definimos nossas prioridades estratégicas claras no início deste ano – excelência operacional, simplificação de portfólio e crescimento. Nossa decisão de concentrar o portfólio da Anglo American em nossa base de ativos de recursos de classe mundial em cobre e minério de ferro premium – mantendo nossa opção de nutrientes agrícolas em Woodsmith – marca uma nova fase importante na execução de nossa estratégia. Esperamos que um negócio radicalmente mais simples proporcione criação de valor sustentável através de uma mudança radical no desempenho operacional e na redução de custos”, disse Duncan Wanblad, CEO da Anglo American.

Para Duncan, os acionistas da Anglo American verão todas as vantagens dessas mudanças abrangentes, com o valor dos ativos de cobre e minério de ferro trazidos à tona. O próximo passo na transformação do portfólio da Anglo American deverá acelerar o reconhecimento do valor que tem sido inerente ao negócio da mineradora por muitos anos e proporcionar aos acionistas uma participação pura e diferenciada nas principais tendências estruturais da demanda, minimizando ao mesmo tempo quaisquer custos de atrito junto aos associados a esta importante transformação do portfólio.

“Essas ações representam as mudanças mais radicais para a Anglo American em décadas. Acredito que essas são as decisões corretas para posicionar a Anglo American de forma a capitalizar as excelentes oportunidades de dotação de recursos dentro do nosso portfólio atual. Nossas capacidades comprovadas e diferenciadas dentro da Anglo American, nossas redes de relacionamento globais e nossa reputação de longa data como empresa de mineração responsável nos ajudarão a desbloquear inúmeras dessas e outras oportunidades nas jurisdições onde nossa experiência e histórico são mais valiosos e mais valorizados, nomeadamente na América do Sul e África Austral. É claro que estamos conscientes dos impactos de mudanças tão abrangentes, especialmente para os nossos funcionários. Vemos oportunidades consideráveis para eles, tanto na concretização de todo o potencial da Anglo American como nos negócios que iremos desinvestir ou cindir, todos os quais são negócios de alta qualidade por direito próprio. Ao implementarmos nós mesmos essas mudanças no portfólio, seremos capazes de fazê-lo de uma maneira que respeite nossos funcionários, comunidades anfitriãs e países, inclusive garantindo que na África do Sul, em particular, a Anglo American continue a desempenhar seu papel como líder empresarial responsável para apoiar as prioridades nacionais do país. Estamos a tomar medidas claras e decisivas para agregar valor – de forma segura, responsável e fiável – no interesse a longo prazo dos nossos acionistas e outras partes interessadas, e para fornecer os produtos que são tão críticos para permitir a transição energética e apoiar a melhoria dos padrões de vida globais e segurança alimentar”.