Fortescue quer fomentar hidrogênio verde no Nordeste

14/05/2024
A reunião teve a participação de governadores e representantes de oito estados do Nordeste, da Associação Brasileira da Indústria de Hidrogênio Verde (ABIHV

 

Empresa global de energia verde e tecnologia, a Fortescue se reuniu com governadores e vice-governadores do Nordeste, durante o World Hydrogen Summit & Exhibition 2024, realizado na Holanda, para dar continuidade à agenda de promoção do desenvolvimento de uma legislação para o hidrogênio verde que inclua condições estruturantes para impulsionar os primeiros grandes investimentos neste setor. O evento é considerado o maior encontro global sobre hidrogênio verde e sua cadeia de valor.

A reunião teve a participação de governadores e representantes de oito estados do Nordeste, da Associação Brasileira da Indústria de Hidrogênio Verde (ABIHV), da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e de diferentes empresas do setor. Durante o encontro, a Fortescue ressaltou a oportunidade do Brasil se apropriar e capitalizar vantagens em energia renovável para impulsionar a indústria do hidrogênio verde. Para a empresa, o Brasil está bem-posicionado para se destacar como um dos principais atores globais no desenvolvimento desse setor e sua cadeia de valor. A abundância de energia renovável a preços competitivos, juntamente com um sistema de comercialização robusto, uma sólida infraestrutura de transporte de energia e portos bem estruturados, além das Zonas de Processamento de Exportação (ZPEs), são fatores que o capacitam a participar dessa competição global. "Esta reunião com os membros do Consórcio Nordeste e atores relevantes do setor reafirma o interesse da Fortescue em promover o desenvolvimento de projetos de hidrogênio verde na região. Para isso, é fundamental continuar trabalhando em conjunto para garantir o desenvolvimento de um marco regulatório que permita ao Brasil manter a vantagem que essas características proporcionam à sua ampla matriz energética, assim como a maturidade do mercado energético. Nesse contexto, a regulamentação precisa contemplar a garantia de condições estruturantes para tornar o hidrogênio verde competitivo”, disse Sebastian Delgui, gerente de Assuntos Públicos e Comunidades da América Latina.

A Fortescue anunciou investimento de US$ 5 bilhões na construção de uma planta de produção de hidrogênio verde no Complexo Industrial e Portuário do Pecém no Ceará, em 2021. A capacidade de produção final do projeto é de 837 toneladas diárias de hidrogênio verde, com base no consumo de 2,1 GW de eletricidade de fontes renováveis. A planta terá capacidade para produzir 15 milhões de toneladas de hidrogênio verde por ano.

É o maior projeto de desenvolvimento de plantas de hidrogênio verde do Brasil e um dos maiores do mundo. Os estudos de impacto ambiental para a planta foram aprovados pelo Conselho Estadual do Meio Ambiente do Ceará (Coema) em outubro de 2023 e o projeto está avançando. A expectativa é de que, durante a fase de construção, cerca de 5 mil empregos sejam criados. Além disso, um ponto importante é que a planta utilizará água de esgoto tratado (água reutilizada) e do oceano, portanto não haverá impactos no abastecimento local de água potável.