18/07/2019
BIOMETANO

Ternium vai usar gás de aterro

A siderúrgica Ternium Brasil irá utilizar gás de origem renovável do aterro sanitário de Seropédica (RJ) que substituirá em mais de 30% de gás natural fóssil. O aterro de Seropédica irá fornecer até 72 mil Nm³ diários de biometano para uso térmico no processo de produção de aço, injetado na tubulação de gás de baixa pressão do complexo industrial, atendendo às áreas do alto forno, aciaria, coqueria e de sinterização. 
 
A medida irá reduzir as emissões de gases do efeito estufa no Rio de Janeiro, já que o aterro deixará de queimar os gases para gerar combustível renovável. "Com essa operação, nós vamos passar a usar gás de energia renovável para produzir aço, com um projeto inovador que utiliza o gás gerado pelo lixo do aterro sanitário. É o tipo de serviço em que todos ganham: as empresas, a sociedade e o meio ambiente", destaca Pedro Teixeira, VP Jurídico e RI da siderúrgica. 
 
O aterro de Seropédica atende a cerca de 10 milhões de pessoas e recebe por dia 10 mil toneladas de lixo do Rio de Janeiro, Seropédica e Itaguaí. O biogás, proveniente da degradação da matéria orgânica dos resíduos sólidos urbanos, é purificado na usina construída no local por meio da remoção completa de CO2, retirada de enxofre e outros contaminantes, e redução de nitrogênio. O biometano é o biocombustível gasoso obtido a partir desse processo e pode ser aproveitado como combustível veicular ou para geração de calor – que é o caso da Ternium.

Veja também