Produção cresce 7% trimestre, apesar de percalços

14/10/2021

A Aura Minerals divulgou resultados preliminares sobre o terceiro trimestre de 2021. No período, a produção das operações atingiu 61.558 onças de ouro equivalente (GEO), um aumento de 7% sobre as 57.725 GEO do mesmo trimestre de 2020. "No terceiro trimestre de 2021 tivemos uma forte produção em Aranzazu após expansão da capacidade de planta, enquanto em EPP a produção foi impactada pelo excesso de chuvas, desafios operacionais e menores teores. Enquanto isso, San Andres teve suas atividades suspensas durante a maior parte do mês de julho e, mesmo assim, alcançamos outro recorde de produção para um período acumulado em 12 meses, acima das 260,000 Oz equivalentes e com potencial de atingir ainda melhores resultados em um futuro próximo", comentou Rodrigo Barbosa, presidente e CEO da Aura.

Para o último trimestre de 2021, a Aura prevê alcançar maiores níveis de produção. No período dos últimos doze meses encerrados em 30 de setembro de 2021, a Aura alcançou seu recorde histórico, produzindo 260.353 GEO, enquanto, entre janeiro e setembro deste ano produziu 191.389 GEO. 

A produção mais baixa no terceiro trimestre comparada ao segundo trimestre de 2021 (63.020 GEO) é relacionada principalmente à interrupção operacional ilegal na mina de San Andres durante o mês de julho. Apesar da redução da produção nos últimos dois trimestres, a Aura mantém a tendência de aumento da produção anualizada.

Os trabalhos de exploração no período identificaram bons cruzamentos na mina adjacente e alvos "near mine". A mina de Aranzazu fechou o trimestre operando com capacidade total, após investimentos para ampliação de 30% da capacidade. A mina alcançou média mensal de 100.000 toneladas, porém o teor de cobre foi inferior ao mesmo trimestre de 2020, mas 12% superior ao trimestre anterior, devido à sequência da mina. O teor de ouro também foi inferior ao terceiro trimestre de 2020, mas 15% superior ao trimestre anterior. Das 26.745 GEO produzidas no trimestre, mais de 10.000 GEO foram produzidas apenas em setembro. A expectativa da Aura é de que os teores continuem evoluindo durante o quarto trimestre de 2021 em comparação com o trimestre anterior. 

S&P atribui rating brAA para emissão da Aura Almas

Conforme informado pela Aura Almas ao mercado, a S&P Global Ratings classificou rating de crédito brAA em escala nacional Brasil para emissão de debêntures da Companhia. A operação foi realizada em 13 de Julho de 2021 e liquidada em 20 de Julho de 2021.

Tags