02/08/2017
CNBB

GT alerta sobre uso de fósseis e fracking

O coordenador de Desinvestimento da 350.org Brasil, Reginaldo Urbano Argentino, participou da primeira reunião do Grupo de Trabalho da Mineração da Conferência Nacional do Bispos do Brasil (CNBB) em Brasília (DF). O coordenador, que também é presidente da Cáritas Paraná, foi nomeado junto com o Bispo da Diocese de Umuarama, Frei João Mamede Filho, para integrar o grupo e municiar com informações sobre a campanha do Desinvestimento dos combustíveis fósseis, o combate ao fracking e como conter as mudanças climáticas. 
 
Urbano também faz parte da Coalizão Não Fracking Brasil pelo Clima, Água e Vida (COESUS) e realiza, desde 2013, campanha contra exploração de gás de xisto por faturamento hidráulico – atividade minerária conhecida como Fracking. O método não convencional é considerado como altamente poluente, responsável por contaminar as reservas de água de superfície e aquíferos, podendo causar graves danos à saúde das pessoas e animais e eliminar a biodiversidade. “A CNBB, que representa toda a Igreja Católica do Brasil, está alertando a população para a intransigência e irresponsabilidade do governo e das corporações internacionais na exploração dos recursos naturais, que são um bem patrimonial de todos”, explicou Reginaldo Urbano. 
 
O GT criado não concorda com projetos que priorizam combustíveis fósseis – petróleo, gás e carvão – através do extrativismo minerário. “Vamos propor uma ampla reflexão e viabilizar ações em parceria com grupos da sociedade civil organizada, pastorais e movimentos dentro da proposta do Conselho Permanente de Pastoral”, completa.
O Grupo de Trabalho da Mineração é articulado pelo Frei Olávio Dotto, coordenador das Pastorais Sociais. Entre os encaminhamentos estão a produção de materiais, elaboração de subsídios para a CNBB orientar toda Igreja do Brasil sobre os assuntos correlatos à exploração dos recursos naturais, com ênfase nos hidrocarbonetos. “Vamos formular uma linha de ação com outros grupos e pastorais e viabilizar o Fórum Alternativo das Águas 2018 para debater a proteção das reservas de água que são severamente e irreversivelmente impactadas pelo extrativismo”, adiantou Reginaldo.
 
A campanha para o desinvestimento em combustíveis fósseis da 350.org Brasil e COESUS também entrará no planejamento., além do combate ao fracking. “São temas que estão sendo debatidos em todo o mundo, num momento em que as mudanças climáticas se intensificam e impactam diretamente as populações mais vulneráveis. Essa é a nossa missão, enquanto Igreja Cristã, diante dos ensinamentos da Laudato Si para cuidarmos da Casa Comum”, enfatizou. Com o apoio de Frei João Mamede Filho, a Diocese de Umuarama (PR) é a primeira Diocese de baixo carbono da América Latina a anunciar a adesão à campanha pelo desinvestimento. 

Veja também