20/03/2019
MANGANÊS

Buritirama prevê 2 milhões t em 2019

A Buritirama Mineração pretende fechar o ano de 2019 com uma produção de manganês da ordem de 2 milhões de toneladas, o dobro do que a empresa produziu em 2018 e quase oito vezes o que produzia em 2015. Com isto, a empresa, controlada pelo grupo Buritipar, deverá ultrapassar a Vale como maior produtor nacional de manganês. A produção, que era de 270 mil toneladas em 2015, saltou para 1 milhão de toneladas em 2018 e pode chegar aos 2 milhões t este ano. 
 
A meta foi anunciada pelo presidente do grupo Buritipar, João Araújo, em apresentação feita durante a convenção PDAC 2019, realizada no início de março em Toronto. Na ocasião, ele disse que o grupo prevê faturar, em 2019, cerca de R$ 2 bilhões e pretende investir, nos próximos três anos, cerca de R$ 600 milhões para levar adiante um plano de crescimento que envolve, além do aumento da produção de manganês, o ingresso na produção de fertilizantes (potássio), estanho, cobre e outros bens minerais, bem como logística e exploração sustentável de florestas. Recentemente, através da controlada Nexon, o grupo adquiriu o controle de um projeto de potássio em Minas Gerais, que deve iniciar produção brevemente. Trata-se de um processo pioneiro para obtenção de sulfato de potássio a partir de uma rocha denominada Verdete, da qual a empresa possui grandes reservas. 
 
Em Toronto, o empresário se mostrou otimista com o mercado mundial de manganês, onde os preços tiveram boa recuperação nos últimos anos, passando de US$ 78,6 a tonelada, em 2015, para US$ 136,3 em 2017.