23/02/2017
VALE

Bom resultado em 2016 e remuneração a acionistas

Na linha das outras grandes mineradoras mundiais, a Vale registrou bom resultado em 2016, como resultado da melhoria nos preços de algumas das commodities minerais que produz, como minério de ferro e níquel. A receita líquida da empresa cresceu 14,7%, alcançando US$ 29,363 bilhões, contra os US$ 25,609 bilhões de 2015. O aumento de receita foi proporcionado principalmente pelos preços maiores de finos de minério de ferro, maiores volumes de venda de minério de ferro e pelotas e pelos metais básicos.

O Ebitda ajustado ficou 72% acima do registrado em 2015, somando US$ 12,181 bilhões, contra US$ 7,081 bilhões no ano anterior. A margem Ebitda em 2016 foi de 41,5%, portanto com um aumento de 27,7% sobre 2015. O lucro líquido no ano passado totalizou US$ 3,982 bilhões, contra um prejuízo líquido de US$ 12,129 bilhões em 2015. Os impairments (baixas contábeis) em 2016 somaram US$ 2,912 bilhões em 2016, bem abaixo dos US$ 8,926 de 2015 e foram puxados pelos acordos de venda dos ativos de fertilizantes (US$ 1,738 bilhão). A dívida líquida da empresa teve uma pequena redução, passando de US$ 25,234 bilhões em 2015 para US$ 25,075 bilhões no ano passado. O índice de endividamento passou de 4,1x para 2,4x. A venda de ativos em 2016 somou US$ 3,842 bilhões, sendo o maior valor proveniente da venda de fertilizantes (US$ 2,5 bilhões).

O total de investimentos realizados pela Vale em 2016 foi US$ 5,482 bilhões, com uma redução de US$ 2,919 bilhões sobre os valores investidos em 2015. Já os investimentos em manutenção ficaram em US$ 2,302 bilhões.

No exercício de 2016 a Vale produziu 348,8 milhões t de minério de ferro, 46,2 milhões t de pelotas, 7,2 milhões t de carvão, 7,5 milhões t de rocha fosfática, 2,37 milhões t de manganês, 501 mil t de potássio, 453 mil toneladas de cobre e 311 mil t de níquel.  

Remuneração aos acionistas

Em função dos resultados obtidos, o Conselho de Administração da Vale está propondo à Assembleia Geral, que será realizada em 20 de abril de 2017, o pagamento de remuneração aos acionistas, em 28 de abril, no valor bruto de R$ 4,666 bilhões, correspondendo a pouco mais de R$ 0,90 por ação ordinária ou preferencial em circulação no dia 22/2/2017. O pagamento será feito totalmente na forma de juros sobre capital. Somando-se com a parcela distribuída em dezembro de 2016, no valor de R$ 856,9 milhões, a Vale distribuirá um total de aproximadamente R$ 5,523 bilhões relativos ao exercício de 2016.