Produtores de calcário fazem campanha nacional de apoio

15/05/2024
Campanha tem apoio da Abracal para ajudar a população do estado atingida pelas enchentes no estado.

 

O Sindicalc (Sindicato da Indústria de Calcário do Rio Grande do Sul) está realizando uma campanha, com apoio da Abracal (associação que congrega os produtores de calcário em todo o Brasil) para ajudar a população do estado atingida pelas enchentes no estado.

Segundo o presidente do Sindicalc, Carlos Cavalheiro, a entidade já disponibilizou um galpão na cidade de Caçapava do Sul, onde fica sua sede, para recebimento de todo o material recebido como doação para as vítimas da enchente. Além disso, com os recursos obtidos através de doações, estão sendo adquiridos kits de higiene pessoal, que é um dos itens mais requeridos pelas pessoas que tiveram que deixar suas casas e estão alojadas provisoriamente em abrigos.

Segundo Roberto Zamberlan, diretor-executivo do sindicato, embora Caçapava do Sul não tenha sido atingida pelas enchentes, os produtores se sentem na obrigação de prestar assistência às populações que estão nas zonas inundadas, inclusive para mostrar que o setor de produção de calcário, como parte da indústria de extração mineral, está solidário com o povo do Rio Grande do Sul – mesmo estando atualmente com suas operações paralisadas -- e pode desempenhar um papel importante quando se iniciar a fase de reconstrução da infraestrutura de transporte e habitacional no estado. Os dirigentes sindicais esperam que, nessa fase, possam contar com o apoio também de outras entidades da cadeia de produção de material para construção civil, como os produtores de cimento, areia e embalagens.

Eles informam que atualmente a capacidade de produção de calcário no estado é da ordem de 3,4 milhões de toneladas, em sua maior parte destinada ao uso na agricultura e que a tragédia climática traz muitas dificuldades para o setor, já que a demanda atual não chega a 10% do que normalmente é consumido. Eles também argumentam que, considerando a área agricultável no estado, há potencial de demanda para 6 milhões de toneladas/ano.

Direto da Fonte