IBRAM lança documento sobre posicionamento do setor

13/10/2021

No último dia da Exposibram 2021 (7 de outubro), o diretor do Conselho Diretor do Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM), Wilson Brumer, apresentou o "Posicionamento da Mineração sobre a Agenda de Mudança do Clima no Brasil". O documento é uma contribuição ao governo federal, que se prepara para participar da Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP-26), em Glasgow, Escócia, em novembro. 

O documento tem a adesão das mineradoras associadas do IBRAM, que respondem por mais de 85% do valor da produção mineral brasileira. No documento setorial, a indústria mineral alerta sobre a importância de um mercado de carbono robusto, creditício e regulado, como forma de compensar emissões. O posicionamento está alinhado com a regulamentação do artigo 6 do Acordo de Paris, que aborda a instituição de um mercado de carbono global. O posicionamento do IBRAM pode ser conferido no link https://ibram.org.br/wp-content/uploads/2021/10/Posicionamento-Setorial-da-Mineracao-sobre-a-Agenda-Climatica-no-Brasil_Out2021-versao-final-aprovada-1.pdf

Antes do anúncio público, o IBRAM já havia enviado o documento oficial aos ministérios de Minas e Energia, Meio Ambiente e Relações Exteriores. "Este posicionamento é uma contribuição setorial para o governo, que solicitou o documento com a visão da indústria da mineração, para servir de subsídio à COP-26", disse Flávio Penido, diretor-presidente do IBRAM. A indústria mineral pretende investir mais de US$ 6 bilhões para implantar projetos socioambientais, em especial, para reduzir emissões, além de outras ações em fase de estruturação, com apoio da Consultoria Falconi. A iniciativas compõem a Agenda ESG da Mineração do Brasil, também apresentada pelo IBRAM no encerramento da Exposibram.