IBRAM e Sede firmam acordo de cooperação técnica

07/10/2021

O Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM) e a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (SEDE) assinaram acordo de cooperação técnica para promover o intercâmbio de informações e dados sobre o setor mineral no estado. “É por meio do compartilhamento de informações e de conhecimento que abriremos o horizonte de maior capacitação dos agentes públicos e privados responsáveis pelos rumos da mineração sustentável no Estado. É com apoio incondicional e amplo à mineração sustentável e responsável com o meio ambiente e com as pessoas que podemos, juntos, estimular as contribuições socioeconômicas e ambientais que a indústria da mineração poderá apresentar à população a longo prazo”, disse o diretor-presidente do IBRAM, Flávio Penido. 

Para ele, o acordo com a Sede é de grande importância para o IBRAM, pois o futuro da mineração em Minas Gerais está condicionado ao desenvolvimento contínuo de uma atividade sustentável, e calcada na economia verde. 

A troca de informações entre IBRAM e SEDE promoverá o desenvolvimento da mineração e das pesquisas para descoberta de novos minerais. “Sabemos que a mineração está em quase todas as atividades econômicas e humanas, mas, certamente, existirão outros minerais que serão importantes para o futuro. Futuro este que também pressupõe a necessidade de pesquisa destes novos minerais”, afirmou o presidente do Conselho Diretor do IBRAM, Wilson Brumer. Segundo Brumer, Estado, IBRAM, entidades representativas e empresas do setor poderão construir e ativar um projeto para a mineração que promova o desenvolvimento socioeconômico, com respeito ao meio ambiente, à natureza, às pessoas e comunidades nas quais a mineração está e estará inserida. 

A subsecretária de Estado de Promoção de Investimentos e Cadeias Produtivas, Kathleen Garcia, também espera resultados positivos com o acordo de cooperação técnica. “Percebemos que, em conjunto, vamos fazer uma construção muito importante. A mineração é vocação de Minas e temos que tratar a atividade com respeito. A gente entende que estamos no momento do meio ambiente, da preocupação com os impactos ambientais e sociais e da importância da governança para que consiga buscar dentro da liberdade, com responsabilidade, melhores práticas. Ninguém melhor que o setor para fazer esta conexão para a elaboração de políticas públicas alinhadas com segurança jurídica.