AngloGold Ashanti destina R$ 400 mil para Nova Lima

20/07/2022
A mineradora já contribui com os fundos da Infância e Adolescência e do Idoso por meio de outros recursos.

A AngloGold Ashanti alocou cerca de R$ 400 mil para o Fundo de Habitação de nova Lima (MG), que prioriza a construção de moradias de interesse da população e reurbanização de áreas ocupadas irregularmente no município. “Nosso compromisso com o desenvolvimento social passa por entendermos a importância do trabalho em conjunto dos diferentes atores sociais, empresariais e poder público frente a desafios como a habitação”, ressalta Othon Maia, gerente sênior de Comunicação e Relações Institucionais da companhia. 

A mineradora já contribui com os fundos da Infância e Adolescência e do Idoso por meio de outros recursos. A decisão de destinar 100% do valor possível ao Fundo de Habitação vai proporcionar ainda mais transparência aos processos de investimentos sociais, uma vez que esses Fundos são geridos por Conselhos Municipais formados por representantes do poder público e da sociedade civil. Entre as atribuições dos grupos estão a gestão dos recursos, aprovação de projetos, acompanhamento das finanças e prestações de contas. Proposta pelo vereador Álvaro Azevedo e sancionada pelo prefeito João Marcelo Dieguez, a Lei nº 2864/21 autoriza empresas e pessoas físicas a direcionar 10% do seu imposto a um destes três fundos: Infância e Adolescência, Idoso ou Habitação. 

O prefeito João Marcelo Dieguez esclarece que a Lei nº 2864/21 não prevê contrapartidas e não se trata de dedução de imposto, uma vez que o valor pago continua o mesmo. O que ela permite é escolher a destinação de parte do imposto devido. O valor alocado pela AngloGold Ashanti no Fundo de Habitação de Nova Lima foi efetivado no dia 22 de junho. “A ação da AngloGold Ashanti é um importante exemplo a ser seguido. Esse valor será essencial para fortalecer nossos fundos, permitindo investimento estruturante em uma área tão importante para a população. Os aportes dão ainda mais transparência ao uso das verbas públicas e fortalecem os conselhos. É com a colaboração de contribuintes e empresas que investem em responsabilidade social que vamos ter fundos mais aptos a realizar ações para seus segmentos de atuação”, diz o prefeito.  

Para Álvaro Azevedo, vereador autor da Lei, a medida amplia a participação da sociedade civil nas ações efetivadas pelo poder público. “Esse trabalho em conjunto definirá a correta aplicação dos recursos, respeitando as diretrizes das políticas públicas. A ação, sem sombra de dúvidas, vai proporcionar qualidade de vida para quem mais precisa”, conclui Álvaro.