2023 será o ano do ouro, prevê o World Gold Council

03/03/2023
2023 pode ser um ano em que o ouro começa a ganhar impulso

 

Se 2022 foi o ano do dólar, 2023 pode ser um ano em que o ouro começa a ganhar impulso, especialmente se os esforços do WGC (World Gold Council) para digitalizar a forma como o ouro é negociado continuarem a gerar entusiasmo.

O WGC lançou seu projeto Gold247 com a visão de mudar a forma como o metal precioso é negociado para torná-la mais eficiente, transparente e, em última análise, fungível, e o projeto continua sendo uma de suas principais missões, disse o CEO do WGC, David Tait, após uma reunião realizada na 32ª Conferência Anual Global de Metais, Mineração e Minerais Críticos do BMO Capital Markets.

A ideia é que, ao padronizar a forma como o ouro é negociado e, portanto, eliminar os impedimentos de capital associados que há muito sobrecarregam o fluxo de capital para o setor, se crie um ambiente que também é mais atraente para os investidores.

“Portanto, todos os trilhões de dólares de investimento que até agora foram para moedas, ações, títulos, crédito e qualquer outra coisa, voltarão ao ouro, simplesmente porque os custos de negociá-lo serão removidos pela primeira vez na história”, enfatizou o CEO do WGC após sair da reunião na Flórida. “Se pudermos alterar essa dinâmica e introduzir, como o World Gold Council pode provar, 5% no portfólio de todos, isso é muito ouro.”

De acordo com o presidente do conselho, Randy Smallwood, o Gold247 está gerando um burburinho entre os mineradores de ouro. “Esta iniciativa Gold247 deixou nossos membros muito entusiasmados… Dois novos membros se juntaram a nós hoje”, disse Smallwood, após a reunião paralela à conferência da Flórida. “Este foi provavelmente um dos maiores comparecimentos que tivemos para a reunião do World Gold Council nos últimos cinco anos.”

 

Preços podem mudar

 

Os preços do ouro estão estagnados ultimamente, mas houve uma sensação na conferência da BMO de que isso pode mudar. “Continuamos bastante construtivos em relação aos preços do ouro”, disse o analista de commodities da BMO Capital Markets, Colin Hamilton, após a reunião do WGC. “De nossa perspectiva, temos nosso cenário base de que o sentimento de risco melhorará no segundo semestre deste ano.”

Smallwood disse que este ano os preços do ouro terão uma base mais forte. “Acho que 2022 foi o ano do dólar americano, o mais forte que já existiu”, disse ele, após a reunião do WGC. “Acho que 2023 é o ano em que o ouro começa a tomar seu lugar. Vimos compras recordes por parte dos bancos centrais.”

Direto da Fonte