27/03/2019
MINAS GERAIS

Perda no PIB pode chegar a 7%

Segundo levantamento realizado pela Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), o acidente do rompimento da barragem de rejeitos em Brumadinho pode provocar uma perda de 4% no PIB mineiro em 2019. A queda no faturamento na indústria de minério de ferro e de seus fornecedores pode variar de R$ 21,7 bilhões a R$ 35 bilhões, com retração na produção de até 130 milhões de toneladas, o que corresponde a cerca de 70% do produzido atualmente, que é de 186 milhões de toneladas/ano. O número de perda de postos de trabalho pode alcançar 815 mil. 
Segundo o presidente da Fiemg, Flávio Roscoe, da produção atual da atividade extrativa de minério de ferro em Minas Gerais, 90 milhões t são para abastecer o mercado interno. Com a redução da atividade, pode faltar matéria-prima para a indústria.
 
Entre as atividades ligadas diretamente à mineração o setor de transportes terrestres deve ser o que sofrerá maior impacto, com perdas de até R$ 1,74 bilhão, seguido por comércio por atacado e varejo, que pode perder R$ 1,416 bilhão; e atividade imobiliária (R$ 871 bilhões). O levantamento Descontinuidade parcial da atividade de extração minerária em Minas Gerias – Impactos Econômicos e Sociais levou em conta três cenários: o atual; o otimista e o pessimista. O que tem maior chance de ocorrer – com 50% de probabilidade –, é o atual. Este cenário, que leva em conta a redução da atividade da Vale em 50% – prevê queda na produção da atividade extrativa mineral de 90 milhões de toneladas neste ano, com perdas de R$ 92,6 bilhões: sendo R$ 24,9 bilhões do setor extrativista e R$ 67,7 bilhões dos demais setores industriais. A queda na produção dos demais setores seria de 14%. A arrecadação direta cairia R$ 4,3 bilhões. A queda no PIB do Estado seria de 7,3% e, no PIB Industrial, de 16,7 %, com as perdas de emprego chegando a 851 mil.