Investimentos de até US$ 375 milhões em 2022

12/01/2022

A Ero Copper anunciou que os destaques em 2021 foram o Complexo MCSA, com produção de 45.511 toneladas de cobre em concentrado em 2021, superando a meta máxima do ano inteiro de 42.000 a 45.000 toneladas, e a mina de ouro NX, que produziu 37.798 onças de ouro, superando o high-end do guidance anual de 34.500 a 37.500 onças de ouro. 

A estimativa para a Deepening Extension Zone permite criar duas minas na Mina do Pilar, conhecido como "Pilar 3.0", pelo qual os níveis superiores da mina serão atendidos pelo poço existente, enquanto a Zona de Extensão de Aprofundamento utilizará o novo poço externo maior, previsto para resultar em um crescimento significativo na produção total da mina. Com isto, a produção anual de minério da Mina Pilar está agora prevista para atingir aproximadamente 3,0 milhões de toneladas até 2026, contra a taxa de produção atual de aproximadamente 1,3 milhão de toneladas. A partir de 2027, a produção anual de minério deverá variar de 2,6 milhões a 3,0 milhões de toneladas; e, o “Pilar 3.0” resulta no diferimento de capital relacionado à construção de projetos de maior custo operacional em N8/N9 e Siriema. 

As despesas de capital devem ficar entre US$ 330 e US$ 375 milhões em 2022, incluindo US$ 39 a US$ 46 milhões em gastos de exploração consolidados e US$ 70 a US$ 80 milhões para a construção do Projeto Boa Esperança, com início previsto para o segundo trimestre de 2022, sujeito à aprovação do Conselho de Administração da empresa. A construção do poço externo maior está em andamento e conclusão do projeto de resfriamento da Fase 2 como parte da Mina Pilar 3.0. A companhia também iniciou expansão da Usina Caraíba para 4,2 milhões de toneladas por ano em preparação para a ampliação das operações no Complexo de Mineração MCSA. 

Perspectivas 

A perspectiva operacional da Ero Copper para os próximos cinco anos é de que a produção de cobre mais que dobre em relação aos resultados da Companhia em 2021 para uma faixa de 92.000 a 102.000 toneladas de cobre em concentrado em 2025, assumindo contribuições da Mina Boa Esperança. Os custos de caixa de cobre devem ser em média de aproximadamente US$ 1,05 por libra de cobre produzido na produção prevista, totalizando aproximadamente 350.000 toneladas de 2022 a 2026. A produção de ouro anual tem um guidance previsto de 55.000 a 60.000 onças até 2024, um aumento de mais de 50% sobre os resultados de 2021. Já os custos devem ser em média de aproximadamente US$ 515 a US$ 675, respectivamente, por onça de ouro produzido com produção totalizando aproximadamente 265.000 onças de 2022 a 2026. 

Estão previstos cerca de US$ 300 milhões para o desenvolvimento do projeto Boa Esperança e cerca de US$ 250 milhões para a construção do Pilar 3.0, incluindo o poço externo maior, infraestrutura associada, ventilação, refrigeração e equipamentos, além de US$ 35 milhões para custos de capital auxiliares, incluindo custos de gerenciamento de construção de contingência e de terceiros. Aproximadamente US$ 30 milhões serão destinados para apoiar as operações expandidas no Complexo de Mineração MCSA, incluindo a expansão da capacidade da usina Caraíba para 4,2 milhões de toneladas por ano e melhorias na capacidade de armazenamento de rejeitos de longo prazo para suportar o aumento da produtividade e maior vida útil da mina; e em torno de US$ 10 milhões para apoiar uma maior produção de ouro sustentada de aproximadamente 60.000 onças na NX Gold Mine. 

"2021 foi um ano crucial para a Ero Copper. Nossa equipe apresentou mais um ano de resultados recordes de produção e lançou as bases para um crescimento orgânico significativo da produção de cobre e ouro nos próximos anos. Além de anunciar os resultados de nosso Estudo de Viabilidade otimizado sobre o Projeto Boa Esperança e demonstrando um crescimento significativo em nossas reservas e recursos em todo o nosso portfólio operacional, concluímos o redesenho da Mina Pilar, conhecida como Pilar 3.0”, disse David Strang, CEO da companhia. 

Para o executivo, os dois projetos estão enquadrados no foco em maximizar o retorno sobre o capital investido (“ROIC”). No caso do Pilar 3.0, a Ero substituiu uma iniciativa de ROIC mais baixo, o projeto de classificação de minério, por um mais alto. Da mesma forma, nas operações da NX Gold, a companhia iniciou o projeto NX 60, focado em sustentar a longo prazo produção de ouro de aproximadamente 60.000 onças por ano, incorporando a nova Matinha Vein no plano de mina a partir de 2024. "Agora estamos bem posicionados para alcançar o próximo estágio de nosso crescimento - tornando-nos um produtor de 100.000 toneladas por ano de cobre e 60.000 onças por ano de ouro até 2025 - mantendo os custos operacionais do primeiro quartil e o ROIC líder do setor".