10/04/2019
FERROLIGAS

Vendas da Ferbasa crescem 6,8%

A Ferbasa produziu 263.568 toneladas de ferroligas em 2018, crescimento de 11,6% na comparação com o ano anterior, e com destaque para as ligas de silício, que cresceram 37%. A produção total de ferroligas no último trimestre de 2018 somou 66.039 toneladas, um aumento de 1,6% quando comparado com o trimestre anterior. Como destaque, o crescimento de 28,5% na produção de Ligas de Silício e queda de 9,5% nas ligas de Cromo, quando comparados com o 3º trimestre de 2018.
 
As vendas somaram 225.965 toneladas de ferroligas, um incremento de 6,8% sobre 2017, impulsionado pelas exportações de Ligas de Silício e discreta melhora nos volumes vendidos de Ligas de Cromo para o mercado interno. No 4º trimestre de 2018 as vendas atingiram 48.260 toneladas, um decréscimo de 15,3% sobre os três meses anteriores e impactadas pelo habitual período de manutenção, inventário de estoques e consequente arrefecimento do mercado. 
 
A receita líquida da companhia alcançou R$ 1.381,1 milhões, acréscimo de 24,6% na comparação com 2017. O resultado foi uma combinação da expansão de 6,8% no volume de vendas, da valorização de 12,8% do dólar médio praticado e da queda de 2,2% no preço médio ponderado, em dólar, dos principais produtos da Ferbasa. 
 
O Ebitda ajustado totalizou R$ 425,9 milhões em 2018, equivalentes a 30,8% da receita líquida e representando uma expansão de 32,6% frente ao mesmo período de 2017, quando esse resultado correspondeu a R$ 321,3 milhões e margem de 29,0%. A geração de caixa somou R$ 76,4 milhões, influenciada, substancialmente, pelo lucro do período e pela aquisição do parque eólico BW Guirapá no 2º trimestre; ainda influenciado pela BW e seu financiamento junto ao BNDES, a Ferbasa registrou dívida líquida de R$ 208,2 milhões em 2018, frente aos R$ 473,7 milhões de caixa líquido do ano anterior. 
 
O lucro da Ferbasa cresceu 14,4% em 2018, para R$ 309,2 milhões na comparação com 2017. A valorização do dólar; bom desempenho operacional; reconhecimento da compra vantajosa da BW; contabilização da provisão referente aos benefícios pós emprego e de contingências; e forte redução no resultado financeiro, devido ao Hedge Cambial e à incorporação da BW, explicam o resultado. 
 
A Ferbasa investiu (CAPEX) R$ 91,3 milhões em 2018, redução de 8,1% em relação ao registrado em 2017. O valor não considera a aquisição da controlada BW Guirapá I, cujo investimento foi de R$ 489 milhões. 
O Custo dos Produtos Vendidos (CPV) totalizou R$ 920,6 milhões em 2018, um aumento de 21,4% em relação a 2017, associado, sobretudo, ao acréscimo de 6,8% nas quantidades vendidas e aos aumentos nos custos de energia e matérias primas estratégicas. Ainda assim, a relação do CPV sobre a receita líquida (%) caiu 1,8 p.p. 
 
A taxa de utilização da capacidade instalada em 2018 foi de 74,4%, ante aos 64,1% alcançados no exercício anterior. A utilização plena da capacidade instalada foi afetada por fatores como a decisão de não operar no horário de ponta (das 18h às 21h), devido ao custo bastante superior da energia elétrica neste período; paradas para manutenção; e necessária redução de potência em alguns fornos para a produção de materiais específicos.

Veja também