29/05/2019
BARÃO DE COCAIS

Vale reforça medidas preventivas

A Vale reafirma que adotou medidas preventivas para qualquer cenário sobre a movimentação do talude norte na cava da mina de Gongo Soco. A maior probabilidade é que haja deslizamento do material para dentro da cava. Esta hipótese diminui a possibilidade de impacto na barragem Sul Superior. "Hoje temos mais elementos de análise sobre o comportamento do maciço, nos mostrando que está acontecendo um deslizamento para o fundo da cava. Com isso, há uma grande possibilidade do talude se acomodar dentro da cava, sem maiores consequências", explica Marcelo Barros, diretor de Operações da Vale.

Mesmo sem a ruptura com a queda do talude, a Barragem Sul Superior continua no nível 3 de emergência. A Vale e as autoridades realizaram simulados e a preparação das comunidades para todos os cenários. "Todos os residentes das Zonas de Autossalvamento (ZAS) foram realocados, retiramos mais de três mil animais e transferimos peças de arte sacra para locais fora das ZAS", afirma Barros.

Para garantir a segurança de moradores e trabalhadores, a Vale não realizará obras na cava, para evitar ter pessoas trabalhando no local. Já as obras de contenção continuam. A maior das obras é a construção de uma espécie de bacia que, no caso extremo de rompimento da barragem, ajudaria a reter parte dos rejeitos de minério. Além disso, estão sendo colocadas telas e blocos de granito para diminuir a velocidade do rejeito.

A vale monitora tanto o talude quanto a barragem 24 horas por dia e as previsões são revistas diariamente. "Lamentamos muito o impacto que estamos causando para a população e também para a cidade de Barão de Cocais. Mas a Vale não mede esforços para garantir a segurança da comunidade", finaliza o diretor.

Veja também