19/10/2017
RAMBOLL

SROI no 2º Mineração & X Comunidades

A Ramboll, consultoria multinacional especializada em engenharia e projetos multidisciplinares, apresentará no evento 2º Mineração & XComunidades como a metodologia SROI pode ser aplicada em projetos sociais na área de mineração. O evento acontece nos dias 24 e 25 de outubro, em Belém, no Pará. 
 
O uso da tecnologia SROI ajuda a avaliar de forma qualitativa os resultados de projetos sociais corporativos que têm como objetivo reverter os impactos causados pelas atividades minerárias, de acordo com a perspectiva das comunidades afetadas. 
 
A tecnologia será mais bem explicada durante a palestra “A mensuração do Investimento Social – SROI – Social Return Investment”, ministrada por Hugo Diogo, gerente de Responsabilidade Social da Ramboll para a América Latina, dia 25, ás 16h. Diogo explicará como funciona a tecnologia amplamente utilizada na Europa e cases de sucessos, como o do Grupo francês Voltalia, que utiliza a SROI para avaliar suas ações nas comunidades rurais de Vila Pará e Vila Amazonas, no Estado do Rio Grande do Norte. 
 
A metodologia SROI envolve controle das previsões, melhoria do desempenho, ajustes orçamentários e diferenciação efetiva para auxiliar no processo decisório de candidaturas a financiamento. A SROI pode ser aplicada em projetos sociais de diferentes setores, como óleo e gás, energia, químico, energia e mineração, entre outros, e surgiu da necessidade crescente de qualificar a análise efetiva dos resultados das ações sociais, considerando não só as dimensões financeiras, mas a avaliação e a experiência dos stakeholders. 
 
A aplicação da SROI inclui mapeamento da intervenção; identificação de recursos e atividades; análise qualitativa de mudanças e valor; apuração detalhada do impacto; cálculo estimado das ações de remediação e melhoria da qualidade de vida das comunidades; comunicação e integração dos públicos de interesse. “Por exemplo, um SROI de 1:3 indica que cada R$ 1,00 investido produz R$ 3,00 de valor social. Este tipo de cálculo torna a validação de um projeto para a empresa, as comunidades e outros públicos de interesse muito mais palpável, porque torna a comunicação dos impactos e dos esforços das empresas mais precisa e verdadeira”, afirma Diogo. 

Veja também

19/09/2018
PERSONALIDADES DO ANO | Votação começa. Veja quem são os indicados
05/09/2018
ENCONTRO TÉCNICO | Brasil Mineral discute rejeitos e automação
30/08/2018
MINERAÇÃO & COMUNIDADES | Relações ainda precisam evoluir mais
22/08/2018
3º MINERAÇÃO &/X COMUNIDADES | A Licença Social em discussão
09/08/2018
RANKING | 10 empresas arrecadam 70% da CFEM
24/05/2018
EXPLORAÇÃO MINERAL | Clima de otimismo domina VIII Simexmin
24/05/2018
FUNDAÇÃO RENOVA | Ramboll renova contrato com MP
10/05/2018
EMPRESAS DO ANO | Superando dificuldades, de olho no futuro