23/02/2018
PARANAPANEMA

Receita líquida cresce 24% no trimestre

A Paranapanema registrou receita líquida de R$ 1,134 bilhão no quarto trimestre de 2017, o que representa um acréscimo de 24% sobre o mesmo trimestre de 2016, além de um crescimento de 19% na comparação com o trimestre anterior. No ano, a Paranapanema registrou receita líquida de R$ 3,51 bilhões. O Ebitda somou R$ 20,1 milhões no último trimestre de 2017, com margem de 1,8% - o maior nível dos últimos seis trimestres. O quarto trimestre registrou fluxo de caixa livre positivo de R$ 118,2 milhões, o que representou uma melhora de R$ 438,5 milhões, quando comparado ao mesmo período de 2016. A companhia assegurou no trimestre o fornecimento de concentrado de cobre para o programa de produção de 2018, garantindo 100% de seu fornecimento com um TC/RC próximo ao benchmark atual.
 
Os resultados obtidos refletem a retomada operacional da companhia após o processo de fortalecimento da estrutura de capital que contou com capitalização de R$ 712 milhões e reperfilamento do endividamento: com menores custos financeiros, alongamento de prazos além da redução de 22% na dívida líquida. A Paranapanema também diminuiu sua alavancagem, melhorou sua liquidez e a relação da dívida líquida sobre patrimônio líquido encontra-se em 1,9x. “Os esforços adotados pela atual administração também envolveram a racionalização de custos e despesas, sobretudo as administrativas que foram reduzidas em cerca de 12% em relação ao exercício anterior”, ressalta o diretor-presidente, Marcos Camara. 
 
As vendas alcançaram 48,3 mil toneladas, 2% a mais que o mesmo trimestre de 2016 e 10% superior ao terceiro trimestre do ano passado. No total acumulado do ano, o volume comercializado foi de 158,8 mil toneladas, com 99,2 mil toneladas de produtos de cobre e 59,6 mil toneladas de cobre primário.
 
Atualmente, a Paranapanema está totalmente dedicada ao restabelecimento de sua financiabilidade, principalmente para o financiamento do CAPEX planejado para o ano que é de R$320 milhões. “Dessa forma, esperamos restaurar a capacidade operacional plena, com redução dos custos unitários de produção, geração de valor para os acionistas e fortalecimento da confiabilidade para nossos clientes”, concluiu Camara. A Paranapanema assinou no último trimestre de 2017 um Memorando de Entendimentos (MoU) não-vinculante com o Santander em que se estabelecem os termos e condições para o encerramento amigável do contencioso com o banco.