26/07/2017
AÇO

Produção mundial cresce 4,5% no semestre

Segundo números da Associação Mundial do Aço (WSA), a produção global de aço bruto atingiu 141 milhões de toneladas em junho de 2017, o que representa um crescimento de 3,2% em relação ao mesmo mês do último ano. No primeiro semestre deste ano a produção mundial alcançou 836 milhões de toneladas, 4,5% superior na comparação com o mesmo semestre de 2016.

A produção asiática somou 576,8 milhões de toneladas, um aumento de 4,8% sobre o primeiro semestre de 2016, sendo que a China respondeu por 73,2 milhões de toneladas apenas em junho, 5,7% a mais que no mesmo mês de 2016. A produção no Japão e Coreia do Sul atingiu 8,4 milhões de toneladas e 5,9 milhões de toneladas no mês, o que corresponde à queda de 4,3% e a um incremento de 7,7%, respectivamente, na comparação com junho do último ano.

Na Europa, os países da Comunidade Europeia produziram 86,1 milhões de toneladas no semestre, um crescimento de 4,1% sobre o primeiro semestre de 2016. A Alemanha produziu 3,6 milhões de toneladas em junho, um recuo de 1,7%, enquanto Itália e França produziram 2,1 milhões e 1,3 milhão de toneladas no mês, acréscimos de 1,8% e 1,3%, respectivamente, na comparação com junho de 2016. Já a produção espanhola registrou alta de 8,1% em junho, com volume de 1,3 milhão de toneladas de aço bruto. A Turquia teve bom desempenho em junho também, com produção de 3 milhões de toneladas e incremento de 7,1% sobre junho do último ano.

No primeiro semestre, a produção de aço bruto dos Estados Unidos cresceu 2,4% em relação aos seis primeiros meses de 2016, com volume de 57,4 milhões de toneladas. Apenas em junho, a produção atingiu 6,7 milhões de toneladas, queda de 1,7%.

Nos países da antiga União Soviética, a produção somou 49,7 milhões de toneladas até junho, um declínio de 2,5% sobre o mesmo período de 2016. Em junho, a produção brasileira somou 2,6 milhões de toneladas de aço bruto, o que significa um crescimento de 4% sobre o mesmo mês de 2016. A capacidade de utilização em junho foi de 73%, aumento de 1,4% sobre junho do último ano e de 1,3% quando comparado a maio de 2017.