20/03/2019
COBRE

Produção da Ero Copper cresce 51%

A Ero Copper produziu 12.104 toneladas de cobre no 4º trimestre de 2018 e 30.426 toneladas no ano passado, o que representa um incremento de 51% na produção anual sobre 2017 e um excedente de 15% na comparação com o mesmo período. Os custos de caixa C1 do último trimestre de 2018 foram de US$ 0,99 por libra de cobre produzido, o que resultou em um Custo anual C1 de US$ 1,19 por libra de cobre produzido, dentro da faixa de orientação revista da companhia. 
 
O Ebitda ajustado somou US$ 39 milhões no 4º trimestre e US$ 99,9 milhões em 2018, com um aumento de 168% na comparação anual. O fluxo de caixa de operações totalizou US$ 24 milhões e US$ 82,9 milhões nos mesmos períodos, 139% a mais sobre 2017. O lucro líquido ajustado da companhia atingiu US$ 7,0 milhões e US$ 10,9 milhões nos dois períodos. 
 
A produção de ouro e prata na Mina NX Gold somou 39.808 onças de ouro e 24.700 onças de prata em 2018. A Ero Copper obteve novo financiamento de US$ 130 milhões com o Bank of Nova Scotia e o Bank of Montreal (BMO), reduzindo significativamente o custo da companhia, de empréstimos em relação à estrutura de dívida anterior. 
 
O presidente e CEO da Ero Copper, David Strang, afirmou que os resultados do último trimestre de 2018 continuam a refletir o crescimento dos negócios da companhia e a qualidade da base de ativos. "Nossa taxa de operação operacional durante o quarto trimestre, de mais de 777 mil toneladas de minério processado, foi um ponto importante, pois demonstra que somos capazes de operar em níveis de produção anualizados acima de 3,1 milhões de toneladas por ano, bem acima da nossa taxa prevista de aproximadamente 2 milhões de toneladas por ano nos próximos anos. À medida que continuamos a olhar para o futuro, pretendemos utilizar esse excesso de capacidade de forma mais eficaz por meio de nossos programas de exploração, conversão de recursos e re-sequenciamento do plano de vida útil em torno desses resultados da nova mina subterrânea dos Vermelhos, que foi concluída dentro do orçamento, aproximadamente quatro meses antes do previsto e comissionada durante o terceiro trimestre. A aceleração de Vermelhos, combinada com a produção incremental de Surubim até o final do ano, nos permitiu exceder significativamente nossas diretrizes originais de produção de 2018”. 
 
Além de exceder a meta de produção, com a produção de Vermelhos atingindo o prazo antecipadamente, a Ero avançou em várias iniciativas durante 2018, como, por exemplo, um marco histórico de segurança de 39 anos de operação da subsidiária da companhia, a Mineração Caraíba (MCSA). “Quando olhamos para 2019, vemos diversas oportunidades diante de nós. Na exploração, nossas pesquisas concluíram potencial do Vale do Curaçá como um distrito mineral emergente de classe mundial. A Mina de Vermelhos já tem sondas de perfuração em operação, um aumento significativo em comparação ao final do ano, quando apenas cinco sondas estavam em operação. Este aumento no esforço de exploração inclui agora as duas primeiras perfuradoras subterrâneas implantadas na mina que testarão as extensões do depósito de Vermelhos de alta qualidade até a profundidade. Na mineração, continuamos a avançar nos investimentos em ventilação, desenvolvimento e novas tecnologias visando melhorar o desempenho operacional e diminuir os custos. Em nossa fábrica, iniciamos a engenharia detalhada em um circuito que melhorará significativamente as recuperações metalúrgicas gerais e o desempenho da unidade, durante o segundo trimestre de 2020”, disse Strang. 

Veja também