22/08/2018
AÇO

Produção atinge 20 milhões de t

O Instituto Aço Brasil (IABr) divulgou que a produção brasileira de aço bruto somou 3 milhões de toneladas em julho, um crescimento de 6,7% na comparação com o mesmo mês de 2017, enquanto a produção de laminado atingiu 1,9 milhão de toneladas, 2,7% a mais que julho do ano passado. A produção de semiacabados para vendas foi de 913 mil toneladas e cresceu 25,4% em relação ao mesmo mês de 2017
 
As vendas internas alcançaram 1,6 milhão de toneladas, um incremento de 13,1% e o consumo aparente no mês foi de 1,8 milhão de toneladas de produtos siderúrgicos, alta de 12% sobre julho de 2017. As importações foram de 216 mil toneladas e US$ 240 milhões, o que resultou em um crescimento de 5,9% em quantum e uma alta de 21,2% em valor na comparação com julho de 2017. As exportações somaram 984 mil toneladas e US$ 627 milhões, o que significou uma queda de 8% e elevação de 13,4%, respectivamente. 
 
No acumulado até julho, a produção brasileira de aço bruto atingiu 20,2 milhões de toneladas, 3,4% superior em relação ao mesmo período de 2017. A produção de laminados foi de 13,6 milhões de toneladas entre janeiro e julho de 2018, aumento de 6,2% em relação a 2017, enquanto a produção de semiacabados para vendas foi de 5,6 milhões de toneladas, um aumento de 5,1% na mesma base de comparação. 
 
As vendas internas foram de 10,5 milhões de toneladas de janeiro a julho de 2018, uma elevação de 10,3% quando comparada com igual período do ano anterior. O consumo aparente nacional de produtos siderúrgicos foi de 11,9 milhões de toneladas nos sete primeiros meses, o que representa uma alta de 9,7% frente ao mesmo período do último ano. 
 
As importações alcançaram 1,5 milhão de toneladas no acumulado de janeiro a julho de 2018, aumentando 4,3% frente ao mesmo período do ano anterior. Em valor, as importações atingiram US$ 1,6 bilhão, uma alta de 23,7% no mesmo período de comparação. As exportações foram de 7,9 milhões de toneladas e US$ 4,9 bilhões nos sete primeiros meses de 2018. Esses valores representam, respectivamente, queda de 6% e aumento de 15,7% na comparação com o mesmo período de 2017.