06/02/2019
BRUMADINHO

Não houve eventos sísmicos, mostra estudo

O Observatório Sismológico da Universidade de Brasília (UnB), membro da Rede Sismográfica Brasileira, preparou relatório solicitado pela Promotoria de Meio Ambiente das bacias dos rios das Velhas e Paraopeba, relativa à ocorrência de eventos sísmicos que, de alguma forma pudessem interferir no rompimento da barragem VI, da Mina do Córrego do Feijão, de propriedade da Vale, em Brumadinho (MG). O estudo foi realizado pelo Msc. Juraci Mario de Carvalho (Técnico/Pesquisador), Matheus Figueredo de Paulo (Analista), Prof Dr. Lucas Barros (Professor pesquisador) e Prof. Dr. George Sand L. A. de França ( Chefe em exercício). 
 
A Rede Sismográfica Brasileira (RSBR) detectou eventos naturais e artificiais no período entre 25 de junho de 2018 e 25 de janeiro de 2019, com magnitudes (mR) acima de 1,5 na Escala Richter e localizados a distância de até 100 km do eixo da barragem. Já o Observatório Sismológico não identificou nenhum evento natural na região de Brumadinho nos dias 24 e 25 de janeiro deste ano. 
 
Os tremores naturais diferem dos eventos sísmicos artificiais no que se refere à fonte geradora. Enquanto os naturais são tectônicos, os artificiais geralmente estão relacionados a detonações em pedreiras para desmonte de rochas. Alguns critérios são utilizados para diferenciar os dois tipos, como o horário de ocorrência, padrão de magnitude, formas de onda, histórico de eventos na região e os próprios Litotipos.

Veja também

23/05/2019
BARÃO DE COCAIS | Medidas de emergência em Gongo Soco
15/05/2019
BARRAGENS | CSN fará descomissionamento
09/05/2019
BRUMADINHO | Vale cria Diretoria Especial
15/04/2019
BARRAGENS | Mosaic pede mais tempo para laudo
15/04/2019
MINAS GERAIS | As barragens e o futuro da mineração
04/04/2019
BARRAGENS | ONU define padrões globais
04/04/2019
FISCALIZAÇÃO | Governo fortalece atuação em barragens
04/04/2019
SEGURANÇA | ANM vai interditar barragens