20/06/2018
ZINCO

MSE explora jazida em Rondônia

A Mineração Santa Elina (MSE) iniciou a exploração da jazida de minério de zinco com chumbo associado, denominada ‘DM1’, no município de Nova Brasilândia D’Oeste (RO). A descoberta é um trabalho de pesquisa geológica realizada por dez anos e pode ser considerada um dos mais importantes na área mineral brasileira nos últimos anos. A jazida está sendo preparada para o início do processo de extração e beneficiamento, o que deve gerar novos empregos na região, além da geração de renda e melhoria das condições de vida da população e comércio local. 
 
A primeira etapa do projeto refere-se à Lavra Experimental e abrange a extração de uma pequena parte da jazida – implementada em agosto de 2017 - com o respaldo de Guias de Utilização emitidas pelo Departamento Nacional da Produção Mineral (hoje ANM) e a Licença de Operação emitida pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental (Sedam). O minério bruto explorado nesta fase foi encaminhado para testes em uma planta de concentração em Minas Gerais e outra porção menor para o mercado chinês. Este tipo de comércio já gera arrecadação de impostos municipais e estaduais, além do início da geração de empregos diretos e indiretos. 
O projeto da MSE prevê a contratação de 135 funcionários até a implantação da usina de beneficiamento, prevista para entrar em operação no final de 2019. Além da criação de empregos locais, novas oportunidades de emprego deverão ser criadas através das empresas prestadoras de serviços que serão contratadas para a abertura e desenvolvimento da mina. 
 
Numa fase experimental de operação a MSE lavrou 86 mil toneladas do minério e já recolheu aos cofres públicos mais de R$ 11 milhões através de pagamentos de Imposto Sobre Circulação de Mercadorias (ICMS), Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM), entre outros impostos municipais e federais. 
Para a próxima fase em que a MSE pretende executar, além da Lavra, o processo de beneficiamento mineral, já foi apresentado o relatório de Estudo de Impacto Ambiental (EIA), com objetivo de obter as licenças pertinentes para continuidade do projeto. Uma audiência pública já foi realizada pela Sedam juntamente com a Santa Elina para apresentar todas as informações sobre a jazida à população de Nova Brasilândia.