09/05/2019
BRUCUTU

Justiça manda parar novamente

A Vale informa que foi intimada por meio de decisão monocrática proferida pelo Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais (TJ-MG) que suspende os efeitos da decisão da 1ª Vara da Fazenda Pública e Autarquias da Comarca de Belo Horizonte, no âmbito da ação civil pública n° 5013909-51.2019.8.13.0024, ajuizada pelo Ministério Público do Estado de Minas Gerais, proferida em 18 de março de 2019. 
 
A decisão da 1ª Vara autorizava a retomada das atividades da barragem Laranjeiras e do complexo minerário de Brucutu. Consequentemente, as operações a úmido de Brucutu foram paralisadas, em cumprimento à referida decisão do TJ-MG. A Vale reitera que a barragem de Laranjeiras e todas as demais estruturas geotécnicas de suporte à operação de Brucutu possuem Declarações de Estabilidade (DCE) positivas e vigentes, emitidas por auditores externos em março de 2019, e que está adotando as medidas cabíveis quanto à referida decisão.
 
A Vale reafirma seu guidance de vendas de minério de ferro e pelotas de 307 – 332 milhões de toneladas para 2019, anteriormente informado, e comunica que a expectativa atual é que as vendas fiquem entre o mínimo e o centro da faixa.