15/06/2016
ENERGIA

Empresariado paulista encontra ministro

No dia 10 de junho o secretário de Energia e Mineração do Estado de São Paulo, João Carlos Meirelles, e o Vice-governador de São Paulo, Marcio França, promoveram encontro entre o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, com os principais empresários do setor elétrico do Estado de São Paulo.

A reunião teve como objetivo apresentar a visão de São Paulo no setor nacional de energia e propor uma cooperação dos estados com o Governo federal neste momento de reestruturação. O secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim, também participou do encontro. “A MP 579 promoveu um desarranjo no setor elétrico de todo o País e é urgente um diagnóstico claro e profundo para entender como está o setor hoje. É preciso trabalhar pesadamente na geração de energia próximo aos grandes centros consumidores, garantindo segurança energética. E a energia disponível hoje é o gás natural que nos levará até o próximo estágio, que são as energias renováveis”, recomendou Meirelles.

O ministro Coelho Filho comentou sobre a atual situação do MME e o que está sendo realizado. “Temos que pensar em um estado enxuto e promotor do desenvolvimento, como diz o presidente Michel Temer. O sistema elétrico brasileiro é muito exitoso, mas precisa ser revisitado”, disse. “O sistema Eletrobrás será revisto”, completou. Sobre o gás natural, petróleo, renováveis e mineração, Coelho Filho disse que o Brasil tem menos quilômetros de gasodutos que a Bélgica, e esta é uma oportunidade para o setor privado, principalmente em São Paulo, que é o coração industrial, além da revisão do marco regulatório da mineração, que é de 1967.

O Vice-governador, Marcio França, reforçou a necessidade de uma reforma do setor. “É necessário um conjunto de medidas para serem implantadas rapidamente pela nova gestão visando o destravamento de ações no setor”. Os empresários apresentaram ao ministro suas visões do setor elétrico e sugeriram ações a serem adotadas pelo Ministério. “A racionalidade tem que voltar ao ministério e ao setor energético. Estamos à disposição para enfrentar esse momento juntos”, disse o presidente do Conselho da Cosan, Rubens Ometto. Fernando Coelho Filho disse que o novo Ministério de Minas e Energia está aberto para os estados, municípios e quer ouvir a iniciativa privada. “Estamos de portas abertas, sabemos o peso e a dimensão de São Paulo e viemos aqui beber do conhecimento e voltaremos sempre que fomos chamados”, finalizou.