26/04/2017
MINERAÇÃO

El Salvador é primeiro país a proibir atividade

Incentivado por lideranças católicas, El Salvador tornou-se o primeiro país a proibir a mineração de ouro e outros metais após campanha que durou longos anos. Os motivos da proibição dizem que as práticas de mineração industrial colocavam em grave risco o abastecimento de água já limitado do país.
 
Dom José Luis Escobar Alas, da Arquidiocese de San Salvador e presidente da Conferência Episcopal do país, contou ao Papa Francisco que a mineração "ameaçaria o país com desastres". Dom José Luis informou ao Papa que a Igreja já havia solicitado a proibição "em total acordo com a encíclica Laudato Si”, e juntamente com as comunidades mais empobrecidas diretamente ameaçadas pela mineração. Segundo o membro da Arquidiocese salvadorenha, a mineração poderia contaminar as águas do país e causar danos irreparáveis ao meio ambiente, fauna, flora e, de forma mais grave, à saúde da comunidade. A contaminação decorrente de iniciativas anteriores na área da mineração já tinha chegado a níveis alarmantes em El Salvador.
 
Os defensores da proibição dizem que novos empreendimentos no setor prejudicariam o Rio Lempa, que é a maior fonte de água do país.
 
A nova lei exige que o ministro da Economia feche as minas existentes, ao mesmo tempo em que proíbe o governo de emitir novas licenças para a prática de mineração, e dá a mineiros artesanais e de pequena escala um período de dois anos para extinguir a produção.