17/08/2016
USIMINAS

Ebitda cresce 31% no trimestre

A Usiminas registrou Ebitda ajustado de R$ 68 milhões no segundo trimestre de 2016, valor 31% superior aos R$ 52 milhões obtidos no primeiro trimestre do ano. Na mesma base de comparação, a margem do indicador aumentou 0,8%, passando de 2,5% para 3,3%. A Companhia também conseguiu reduzir o prejuízo líquido em 19%, de R$ 151 milhões para R$ 123 milhões nas comparações trimestrais.

Entre abril e junho, as vendas de aço da Usiminas ficaram estáveis. Do total vendido, 13% foram exportações e 87% destinados ao mercado interno. No primeiro trimestre do ano, as vendas domésticas representaram 84% do total. O capital de giro da Usiminas caiu 3%, de R$ 2,2 bilhões para R$ 2,1 bilhões entre o primeiro e segundo trimestre. Houve redução ainda de 9% no estoque de aço. Se comparado com o mesmo período de 2015, houve uma queda de, aproximadamente, 50% dos estoques.

A Usiminas investiu R$ 50 milhões no segundo trimestre, redução de R$ 20 milhões comparados ao montante do trimestre inicial de 2016. A diminuição de quase 30% pode ser explicada pela maior seletividade nos investimentos para adequação à geração de caixa no cenário atual de baixa demanda.

A posição de caixa da Usiminas atingiu R$ 2,7 bilhões, no segundo trimestre deste ano, sendo R$ 871,5 milhões deste valor referente à operação de aumento de capital. A mineradora realizou duas emissões de novas ações, ordinárias e preferenciais, totalizando R$1,050 bilhão, aproximadamente. Em 03 de junho, o Conselho de Administração homologou o Aumento de Capital de ações preferenciais, totalizando o montante de cerca de R$ 50 milhões. O processo de aumento de capital de R$1 bilhão, que aconteceu por meio da emissão de ações ordinárias, se iniciou ao longo do segundo trimestre e foi homologado em 19 de julho de 2016.

Ao final do segundo trimestre do ano, a dívida bruta consolidada era de R$7,1 bilhões, contra R$7,3 bilhões no final do primeiro trimestre, representando uma redução de 2,7%. Em junho de 2016, a Usiminas assinou com os credores brasileiros e debenturistas um termo vinculante com condições específicas para conclusão da operação da reestruturação da dívida da Companhia, dentre elas, prazo total de 10 anos, período de carência de 3 anos, taxas de juros, obrigações, covenants, dentre outras. As negociações com bancos japoneses estão em bom andamento e têm previsão de encerramento até o prazo final do acordo de standstill, em setembro deste ano.

Em relação ao Ebitda ajustado das operações de siderurgia houve aumento de R$ 46 milhões para R$ 50 milhões, alta de 8% na comparação dos dois primeiros trimestres de 2016. O Ebitda Ajustado da siderurgia, sem considerar os efeitos extraordinários, aumentou de R$ 11 milhões, no 1T16, para R$ 91 milhões, no 2T16. As vendas de minério de ferro contribuíram para o desempenho no segundo trimestre, com alta da ordem de 15% no preço da commodity. Apesar da redução de 19% do montante vendido, de 974 mil toneladas para 787 mil toneladas, empresa exportou, no período, cerca de 170 mil toneladas. As operações de minério de ferro registraram um Ebitda ajustado de R$ 21 milhões, no segundo trimestre de 2016. No primeiro trimestre do ano, a mineração havia registrado um EBITDA Ajustado de R$ 11,9 milhões negativo.

Comitê interno

O Presidente da Usiminas, Sergio Leite, cita como marco importante a criação do comitê interno em junho, batizado de “Grupo dos 10”, que reúne profissionais da Usiminas para priorizar medidas de reestruturação e recuperação da sustentabilidade da empresa. O Grupo definiu cinco prioridades para viabilizar a retomada da Companhia: (1) Cubatão, a fim de encontrar soluções que tornem o negócio sustentável; (2) Ipatinga, com o objetivo de otimizar os processos industriais; (3) Recursos Humanos, com o intuito de promover a reestruturação organizacional e desenho macro da gestão de pessoas; (4) Contratos, que busca oportunidades de redução de despesas; e (5) Receitas, a partir do aumento de preços e volumes. “As ações desse grupo ainda não estão refletidas nas informações do segundo trimestre de 2016, mas a expectativa é que seus resultados já possam ser observados ao longo dos próximos meses”, afirma Leite.

Veja também

16/06/2017
MINÉRIO DE FERRO | Usiminas retomará produção em Serra Azul
07/06/2017
USIMINAS | 60 anos de acordo com Japão
03/05/2017
SUSTENTABILIDADE | Blocos fabricados com escória de aço
29/03/2017
MINERAÇÃO | Usiminas recertificada na ISO 9001:2015
11/01/2017
MINERIO DE FERRO | Sumitomo veta queda de capital da Musa