Clúster mineiro entre Brasil e Argentina

13/07/2021

A empresa carioca WM Wagner Mattos e a FMSE (Fabricaciones Militares Sociedad del Estado) assinaram contrato para fornecimento de uma planta de emulsão para mineração localizada em Jáchal (Província de San Juan), onde serão fornecidos maquinários, caminhões e know-how. A operação foi coordenada por Sergio Kirszman, como representante local da ABIMEX e administrador da El Clúster Minero Industrial. 

O objetivo do projeto binacional é promover uma maior troca de bens e serviços para o setor relacionado à indústria e mineração entre os dois países, com o objetivo de gerar benefícios comuns a todos os participantes. Para tanto, a ADIBA (Associação dos Industriais da Província de Buenos Aires) e a UIPBA (União Industrial da Província de Buenos Aires), ambas nucleadas na UIA (União Industrial Argentina), iniciaram a formalização do Polo Industrial Minerário Argentino-Brasileiro, em conjunto com suas congêneres da ABIMEX (Associação Brasileira das Indústrias de Materiais Explosivos e Agregados) nucleadas na FIESP (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo).

Sergio Kirszman (ABIMEX) e Rafael Dahl, da ADIBA-UIPBA, lançaram as bases da construção empresarial, de ações de intercâmbio comercial ou de investimentos setoriais, sem prejuízo de reclamação, petição, solicitação de sanção de leis, decretos por meio de suas associações empresariais de base para facilitar o fluxo de mercadorias, bens e serviços de todos os tipos relacionados ao setor. 

De acordo com Kirszman, a sinergia e colaboração entre os países se dá através do desenvolvimento de uma plataforma B2B para facilitar o networking entre empresas na República Argentina e com empresas de todo o mundo, concentrando em uma única plataforma a oferta com a demanda por bens e serviços. Os principais pontos do projeto, são: que as entidades sindicais promovam uma entidade destinada a promover o negócio internacional e a acompanhar as PME neste caminho; Promover a cultura de exportação e fornecer ferramentas concretas às PME;  As políticas para o setor exportador não devem ser remendos temporários para resolver qualquer problema temporário e para isso é importante institucionalizá-lo; Trabalhar em conjunto com o governo municipal, provincial e nacional na abertura de novos destinos para empresas provinciais, tendo em conta o potencial e a capacidade produtiva e exportadora; Tendências internacionais demonstram a necessidade de ferramentas e plataformas digitais para promover negócios internacionais e acompanhar a tendência de digitalização das PMEs.