08/09/2017
LOGÍSTICA

Chineses demonstram interesse na FIOL

Dona da Bahia Mineração (Bamin), a Eurasian Mining estuda investimentos de mais US$ 2,4 bilhões no Brasil até o final de 2018. O objetivo é iniciar a expansão das atuais instalações no País em US$ 1 bilhão. O restante viria através da participação do Grupo no leilão do trecho da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (FIOL) entre Ilhéus e Caetité, na Bahia, em princípio em um consórcio com empresas chinesas. 
 
A ideia é formar um consórcio ao lado das chinesas China Communication Construction (CCC) e da China Railway Engineering Corporation (Crec) e do Governo da Bahia para assinar um protocolo de intenções durante a visita do presidente Michel Temer à China. O vencedor do leilão da FIOL poderá explorar o trecho de malha ferroviária, além de ser o responsável pela construção do porto baiano. A construção do porto demanda cerca de US$ 1 bilhão, e outros US$ 400 milhões devem ser usados para concluir a malha.
 
O leilão só deve acontecer no início do segundo semestre de 2018, de acordo com o ministro dos Transportes, Mauricio Quintela, que integrou a comitiva de sete ministros e 11 deputados na China para tentar atrair investidores para obras de infraestrutura e para o programa de 57 privatizações anunciadas pelo governo. O protocolo não garante a formação do consórcio, até porque os chineses querem participação majoritária no projeto para fechar com a Bamin. 

Veja também