Carta de suscetibilidade de duas cidades paulistas

07/10/2021

O Serviço Geológico do Brasil (SGB-CPRM) publicou carta de suscetibilidade a movimentos gravitacionais de massa e inundação nos municípios paulistas de Batatais e Brodowski. O município de Batatais tem somente 0,35% de sua área com alta suscetibilidade a deslizamentos devido a movimentos gravitacionais de massa, e pelo fato dessa região não ser urbanizada. 

Entretanto, uma área de 346 km² apresenta suscetibilidade média para esses desastres, o que corresponde a 28% da parte urbanizada de Batatais. No que se refere a alagamentos e inundações, 15 km² apresentam alta suscetibilidade. Apenas 0,18% da parte urbanizada possui suscetibilidade a inundação, e o grau é considerado baixo. A carta de suscetibilidade de Batatais pode ser visitada pelo link https://rigeo.cprm.gov.br/handle/doc/22342

Já o município de Brodowski tem 98% de sua área classificada como baixa suscetibilidade para deslizamentos, e menos de 2% do território do município com alta suscetibilidade, mas a porção não abrange área urbanizada. Quanto às inundações e enchentes, 2,74% da cidade tem grau suscetível alto, o que corresponde a uma área de 7,63 km². Nenhuma parte dessa área é urbanizada. A carta de suscetibilidade de Brodowski pode ser conferida no link https://rigeo.cprm.gov.br/handle/doc/22343

O pesquisador Raimundo Conceição ressalta que Suscetibilidade e Risco são conceitos diferentes: sustentabilidade se refere ao potencial que o terreno possui para que ocorra o deslizamento ou a inundação. "Esse potencial pode ser alto, médio ou baixo", afirma. Já o risco leva em conta o potencial do terreno (suscetibilidade) mais as ocupações (moradias/comunidades) que ali estão estabelecidas (vulnerabilidade). O risco pode ser também alto, médio ou baixo. As cartas de suscetibilidade são dirigidas especialmente a municípios sujeitos a desastres naturais associados a processos como deslizamentos, corridas de massa, inundações e enxurradas e são elaboradas em atenção às diretrizes da Política Nacional de Proteção e Defesa Civil (PNPDEC), estabelecida em 2012.

A PNPDEC contempla, entre seus princípios fundamentais, as ações de mapeamento e prevenção, bem como sua integração às demais políticas setoriais, como as de ordenamento territorial, desenvolvimento urbano e meio ambiente, entre outras, tendo em vista a promoção do desenvolvimento sustentável no País.